A Sociedade da Informação e do Conhecimento e os Estados Brasileiros

Cecília Araújo Rabelo Corrêa, Elisa Maria Pinto da Rocha, Jane Noronha Carvalhais, Simone Cristina Dufloth

Resumo


Introdução: A expressão Sociedade da Informação e do Conhecimento é utilizada para caracterizar o novo padrão de acumulação capitalista que assume maior relevância a partir dos anos 90. Nesse novo padrão tecnológico e produtivo, a informação, conhecimento e as inovações tecnológicas passam a ser fatores determinantes do desenvolvimento socioeconômico de uma nação. O Brasil possui grande desigualdade interna o que tende a influenciar as condições de inserção dos estados brasileiros nesta Sociedade. Objetivo: O objetivo deste artigo é analisar as condições de inserção dos estados brasileiros no padrão tecno-produtivo que ora se configura no Brasil e no mundo. Metodologia: Revisão de Literatura e Análise Documental. Resultados: Os resultados corroboram a ideia geral acerca da heterogeneidade das condições de inserção dos estados no novo padrão tecnológico e econômico. A grande maioria dos estados apresentou condições de inserção desfavoráveis, e as dimensões que explicam esta posição desconfortável são: Infraestrutura, Acesso e Uso das Tecnologias da Informação e das Comunicações, e Habilidades e Disponibilidade de Recursos Humanos.  Conclusões: O estudo sugere que avanços na construção de condições favoráveis de inserção dos estados dependem fundamentalmente, da adoção de medidas capazes de aprofundar a sinergia entre a política de ciência e tecnologia, a política educacional e industrial.


Palavras-chave


Sociedade da Informação e do Conhecimento. Condições de Inserção dos Estados. Indicadores de Mensuração

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2014v19n1p31

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional