Indicadores Científicos e as Universidades Brasileiras

Adilson Luiz Pinto, Márcio Matias

Resumo


Introdução: Indicadores bibliométricos e científicos tem atraído crescente interesse de parte da comunidade científica, pois têm sido utilizados por agências como elementos de suporte à avaliação de produtividade e aos processos de estabelecimento de políticas de fomento que norteiam a alocação de recursos.

Objetivo: Apresentar e discutir aspectos relacionados à geração e ao uso de indicadores científicos, a visibilidade científica, a representação da ciência, além da ligação entre indicadores científicos e a organização e a representação do conhecimento.

Metodologia: Pesquisa bibliográfica.

Resultados: Os indicadores científicos podem ser usados como um  instrumento de avaliação de cenários e de orientação de políticas de fomento e de desenvolvimento que multipliquem pólos de excelência científica, no entanto, erros ou ausência de padrões na descrição de títulos de periódicos ou de autores, por exemplo, podem gerar informações imprecisas que tornam os indicadores distorcidos e não confiáveis para fundamentar análises e processos de tomada de decisão.

Conclusões: Conclui que o desenvolvimento, a geração e a análise de indicadores demandam organização, representação e registros padronizados e adequados do conhecimento; e recomenda que o desenvolvimento e o aperfeiçoamento destes indicadores sejam um processo contínuo, para que possa acompanhar o caráter dinâmico da realidade que buscam representar.

Palavras-chave


Indicadores científicos; Visibilidade científica; Organização e representação do conhecimento

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2011v16n3p1

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional