Administração de bibliotecas em instituições privadas de ensino superior: uma abordagem discursiva a partir das novas demandas de acesso e uso da informação; Gestión de la biblioteca en las instituciones privadas de educación superior...

Fátima Santana da Silva, Geni Chaves Fernandes, Clóvis Ricardo Montenegro de Lima

Resumo


Introdução: Indaga sobre a adequação da atual administração de bibliotecas em instituições privadas de ensino superior, quando a expansão e diversificação do perfil do alunado de graduação, as demandas de formação e informacionais na sociedade da informação, configuram novos modos de ensino e produção de conhecimentos.

Objetivo: Propõe uma abordagem discursiva, a partir das novas demandas de acesso e uso da informação, para a administração destas bibliotecas.

Metodologia: Opera-se um diálogo entre análises obtidas por mapeamento da literatura sobre administração de bibliotecas acadêmicas brasileiras (BRAPCI e SNBUs) e pesquisa de campo junto a bibliotecários de instituições privadas de ensino superior, docentes e estudantes, em estudo de caso no Rio de Janeiro, apontam a um momento oportuno para repensar a reconstrução destas bibliotecas.

Resultados: A expansão e diversificação do perfil do alunado de graduação, as demandas de formação e informacionais na sociedade da informação, contrastam com o pouco conhecimento das teorias da administração e a inadequação da atual configuração destas instituições aos modelos contemporâneos de gestão. Destacam-se a insipiente comunicação e participação entre gestores e as equipes e entre a biblioteca e seus usuários. A fragilidade do conhecimento em administração, no caso destas unidades, sugere a inexistência de claras políticas administrativas, de modo que a avaliação dos cursos de graduação pelo INEP aparece como uma espécie de substituto da política de desenvolvimento de coleções.

Conclusões: Propõe-se uma Administração Discursiva, conjugando as bases teóricas de agir comunicativo de Habermas e percepção da biblioteca como um sistema que pode aumentar sua complexidade, da teoria de Luhmann. As queixas e demandas de interessados na biblioteca são apresentadas como pontos que podem ser utilizados em uma ação de aproximação com estudantes e docentes, para abrir um diálogo em que, juntos possam construir uma biblioteca que podem ter e que também seja a que querem ter.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2317-4390.2013v2n2p66

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Inf. Prof.

Londrina/PR - Brasil
ISSN: 2317-4390 (versão online)

DOI: 10.5433/2317-4390

infoprof@uel.br

 


 
Esta obra está licenciada com uma licença Creative Commons Atribuição-Não comercial 4.0 Internacional.