Livros Didáticos e Epistemologia da História: perspectivas e abordagens do Conhecimento Histórico na Cultura Escolar

Éder Cristiano de Souza

Resumo


O presente artigo tem como proposta uma reflexão sobre livros didáticos, no sentido de analisar como apresentam elementos para identificar e compreender os pressupostos da área a que se destinam, a História. E, ainda, refletir sobre seus limites e possibilidades a partir de uma ideia mais abrangente de epistemologia da história, relacionada às finalidades educativas desse conhecimento. As indagações que orientaram a pesquisa foram as seguintes: como os livros didáticos promovem abordagens referentes à construção do conhecimento histórico e a formas de pensar a partir do tempo? Ao promover tais abordagens, de que forma poderíamos analisá-las do ponto de vista de uma pragmática da Educação Histórica? Tendo em conta essas questões, o artigo aprofunda a discussão sobre os limites e possibilidades de análise dos livros didáticos como produtos inseridos na cultura escolar, propõe uma discussão que relacione ensino e epistemologia da história. Por fim, a partir de um estudo exploratório sobre livros didáticos destinados aos alunos do sexto ano do Ensino Fundamental, evidencia como essas obras abordam a dupla natureza do conhecimento histórico, uma relacionada à construção do conhecimento e outra às suas finalidades educativas.


Palavras-chave


Cultura Escolar; Livros Didáticos; Epistemologia da História; Educação Histórica.

Texto completo:

PDF

Referências


BOULOS JUNIOR, Alfredo. História: Sociedade & Cidadania, 6º Ano. São Paulo: FTD, 2009.

BRAICK, Patrícia Ramos. Estudar História: das origens à era digital. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2015.

CHAVES, Edilson Aparecido; GARCIA, Tânia Maria F. Braga. Critérios de escolha dos livros didáticos de História: o ponto de vista dos jovens. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO – EDUCERE, 10. 2011, Curitiba. Anais... Curitiba: PUCPR, 2011. p. 9758-9769.

COTRIM, Gilberto; RODRIGUES, Jaime. Saber e fazer história, 6º Ano. 7. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

CUESTA FERNANDEZ, Raimundo. Clío en las aulas: la enseñanza de la Historia en España entre reformas, ilusiones y rutinas. Madrid: Ediciones Akal, 1998.

FORQUIN, Jean-Claude. Escola e Cultura: as bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

JULIA, Dominique. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, n. 1, p. 9-43, jan./jun. 2001.

LEE, Peter. Literacia Histórica e História Transformativa. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 60, p. 107-146, abr./jun. 2016.

MEDEIROS, Daniel H. Manuais Didáticos e Formação da Consciência Histórica. Educar, Curitiba, Especial. p. 73-92, 2006.

MOCELLIN, Renato; CAMARGO, Rosiane. Perspectiva história. 2. ed. São Paulo: Ed. do Brasil, 2012.

MOTOOKA, Debora Y.; BARBOSA, Muryatan Santana. Para viver juntos: história, 6ºAno. 3. ed. São Paulo: SM, 2008.

PANAZZO, Silvia; VAZ, Maria Luísa. Jornadas História, 6º ano. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2012.

RÜSEN, Jörn. História viva. Teoria da história III: formas e funções do conhecimento histórico. Tradução de Estevão Rezende Martins. Brasília: Ed. UNB, 2007.

RÜSEN, Jörn. Jörn Rüsen e o ensino de história. Curitiba: Ed. UFPR, 2010.

RÜSEN, Jörn. Que es la cultura historica?: reflexiones sobre uma nueva manera de abordar la historia. Tradução de: SÁNCHEZ COSTA, F.; SCHUMACHER, I. B. Original In: FÜSSMANN, K.; GRÜTTER, H. T.; RÜSEN, J. (ed.). Historische faszination. geschichtskultur heute. Viena: Böhlau, 1994. p. 3-26.

RÜSEN, Jörn. Razão histórica. teoria da história: os fundamentos da ciência histórica. Brasília: UNB, 2001.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora. Cognição histórica situada: que aprendizagem histórica é esta? In: SCHMIDT, Maria Auxiliadora; BARCA, Isabel. Aprender história: perspectivas da educação histórica. Ijuí: Ed. Unijuí, 2009. p. 21-51.

URBAN, Ana Cláudia. Didática da História: percursos de um Código Disciplinar no Brasil e na Espanha. Curitiba, 2009. 246 f. (Tese de Doutorado). Universidade Federal do Paraná.

VAINFAS, Ronaldo et al. História.doc, 6º ano. São Paulo: Saraiva, 2015.

VALLS MONTÉS, Rafael. Los estudios sobre los manuales escolares de historia y sus nuevas perspectivas. Didáctica de las ciencias experimentales y sociales, n. 15, p. 23-36, 2001.

WILLIAMS, Raymond. La larga revolución. Tradución de Horacio Pons. Buenos Aires: Nueva Visión, 2003.

WILLIAMS, Raymond. Marxismo e literatura. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2018v24n2p135

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.