Religiosidades: uma análise de duas coleções de livros didáticos do ensino público Brasileiro

Elison Antonio Paim, Guilherme Braunsperger de Lima Vieira

Resumo


O Livro Didático é uma ferramenta fundamental na prática docente, ele tem no Brasil a diretriz dada pelo Plano Nacional do Livro Didático (PNLD) e tem neste trabalho as questões étnico raciais inerentes a pluralidade cultural brasileira. Analisamos as coleções Nova História Integrada e História Sociedade e Cidadania presentes no PNLD 2015 sob o viés da religiosidade dos povos abordados, com a intenção de demonstrar a colonialidade das mentes; como a influência de uma historiografia eurocêntrica ainda é predominante dentro dos livros didáticos e como as religiosidades dos diferentes povos apresentados são tratadas nas coleções. Analisamos estas coleções didáticas pela perspectiva da decolonialidade, apoiados fundamentalmente em autores como Franz Fanon, Catherine Walsh, Homi Bhabha, Arturo Escobar, Walter Mignolo e Stuart Hall; na análise de Livros Didáticos há aproximação da metodologia de abordagem de Circe Bittencourt e Kazumi Munakata. Em ambas as coleções, a história dos povos oprimidos tem pouca expressão em comparação com a história europeia e eurocentrada; as discussões sobre exploração e opressão durante o período colonial são suprimidas; a cultura e as religiosidades têm diferentes espaços, minimizando as Áfricas e as Américas, homogeneizando-as e até justificando o caráter civilizador do colonizador.


Palavras-chave


Livro Didático. Decolonialidade. PNLD 2015. Religiosidades

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2019v25n1p41

Apontamentos

  • Não há apontamentos.