Eugenia, Educação E Saber Médico: o discurso eugênico na I Conferência Nacional de Educação (1927)

Alexandre Alves, Audrei Rodrigo da Conceição Pizzolatti

Resumo


O objetivo deste artigo é problematizar como o discurso eugênico no Brasil esteve vinculado à educação a partir da análise da I Conferência Nacional de Educação realizada em Curitiba em 1927, além de outros documentos do período. Fundamentado numa análise documental, num primeiro momento realizou-se um estudo sobre o tema eugenia e educação presentes em teses, dissertações e artigos. Diante disso, o artigo analisa o debate em torno de temas como a “degeneração”, a miscigenação, as teorias da hereditariedade, a relação entre eugenia e higienismo e a questão da educação eugênica. Argumenta-se que a escola foi uma das principais formas de circulação do discurso eugênico entre diferentes camadas sociais. Com a função de forjar o sujeito para a plena consciência eugênica do melhoramento da espécie e do corpo social, a eugenia foi enaltecida em diversas teses apresentadas na I CNE, denotando claramente sua assimilação pelos educadores da época.


Palavras-chave


Educação-eugênica. Mestiçagem. Saber médico

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2019v25n1p427

Apontamentos

  • Não há apontamentos.