Por que e para quê ensinar História?

Maria Terezinha Bellanda Galuch, Cleonice Aparecida Raphael da Silva

Resumo


Subsiste na sociedade atual a ideia de que o ensino de história deve oportunizar a formação para a cidadania, tendo em vista a preservação da ordem democrática. Com base na Teoria Crítica da Sociedade, sobretudo em trabalhos de Adorno e Horkheimer, que destacam conceitos como esclarecimento, educação para a emancipação, experiência formativa e pseudoformação, neste artigo apresenta-se uma reflexão sobre por que e para quê ensinar história, num contexto cujo fascínio e relevância são para o presente. Destaca-se a necessidade de se elaborar o passado para que as condições que possibilitaram a barbárie possam ser compreendidas e, quiçá, superadas. Para além de apontar a relevância do ensino de história para a autorreflexão crítica, sinalizam-se possibilidades de esse ensino estimular a reflexão e a relação entre presente e passado de modo a contribuir para a compreensão do movimento da história em seus avanços e retrocessos e, portanto, para a experiência formativa.


Palavras-chave


Teoria Crítica. Experiência formativa. Ensino de história.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2019v25n1p227

Apontamentos

  • Não há apontamentos.