Reflexões sobre o processo formativo de docentes em contextos mediados pela língua escrita

Maria Aparecida Lima dos Santos

Resumo


O presente trabalho se propõe a relatar e analisar uma experiência de formação continuada, no formato de curso de extensão, voltada a professores da rede municipal de Campos dos Goytacazes/RJ, e ocorrida no âmbito do projeto de pesquisa “Experiências da modernidade na arte e na política”. A experiência foi realizada em 2014/2015, atendendo a 30 assistentes. No projeto, considerou-se que os saberes docentes são temporais, variados e heterogêneos, situados e personalizados, concepção que torna possível vislumbrar esses saberes como elemento central dos processos formativos. Além disso, pressupõe-se que os professores não se limitam a executar currículos, mas também os elaboram, definem e reinterpretam a partir do que pensam, do que acreditam e valorizam, destacando-se, nesse contexto, o papel do registro escrito enquanto instrumento cultural de aprendizagem. No texto, coloca-se em relação produções visuais e textuais de um dos docentes do curso, destacando-se a relação de diálogo do sujeito com seus saberes de maneira consciente e mediada pela escrita no contexto de produção de várias versões de um plano de aula. As conclusões apontam o potencial formativo da escrita quando compreendida a natureza dialógica, responsiva e autoconstitutiva da linguagem no desenvolvimento das reflexões dos docentes sobre a natureza do conhecimento histórico escolar.

Palavras-chave


Ensino de História. Formação de professores. Língua escrita

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2018v24n1p83

Apontamentos

  • Não há apontamentos.