Educação patrimonial e aprendizagem histórica: percursos epistemológicos na história ensinada

Jaqueline Aparecida Martins Zarbato

Resumo


Este artigo pretende abordar as reflexões da educação patrimonial como contributo nas aulas de História da Educação Básica. Para tal, metodologicamente este artigo estrutura-se em realizar a análise sobre as concepções teóricas que norteiam a Educação Patrimonial como campo de estudo, assim como a dinâmica que imprime a produção do conhecimento histórico. Analisando o embricamento entre as concepções patrimoniais e o ensino de História, pontuando, desta maneira, a experiência realizada com estudantes de uma escola pública, no interior de Mato Grosso do Sul.


Palavras-chave


Educação patrimonial; Ensino de história, Alfabetização histórica

Texto completo:

PDF

Referências


BARCA, Isabel. Aula Oficina: do projecto à avaliação. In: BARCA, Isabel. (Org.). Para uma educação histórica de qualidade. Braga: Universidade do Minho, 2004. p.131-144.

BARCA, Isabel. Educação histórica: uma nova área de investigação. Revista faculdade de Letras e História, Porto, III série, v. 2, p. 13-21, 2001.

BARCA, Isabel. Ideias chave para a educação histórica: uma busca de (inter) identidades. História Revista, Goiânia, v. 17, n. 1, p. 37-51, jan./jun. 2012.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros curriculares nacionais: história e geografia. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

COELHO, Alexandra Prado. Rua de Entrecampos, Quando a minha rua era uma aldeia Quintas. Ilustração Mónica Cid. 2015. Disponível em: https://www.publico.pt/2015/12/06/local/cronica_urbana/quando-a-minha-rua-era-uma-aldeia-1716448. Acesso em: 8 jul. 2017.

DIAS, Alice Gomes et al. Percepção Ambiental Do Patrimônio HistóricoArquitetônico De Três Lagoas/Ms: Um Estudo De Caso Da Igreja Santo Antônio. Campo Grande: Associação de Ensino e Cultura de Mato Grosso do Sul, 2006.

EHLKE, T. G. Patrimônio Imaterial e Educação Histórica. Setor de Educação– DTPEN, 2008. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/. Acesso em: 18 maio 2016.

GONÇALVES, José Reginaldo Santos. Monumentalidade e cotidiano: Os patrimônios culturais como gênero do discurso. In: OLIVEIRA, Lucia Lipp (Org.). Cidade: História e Desafios. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2002.

HORTA, Maria de Lourdes Parreiras; GRUNBERG, Evelina; MONTEIRO, Adriane Queiroz. Guia Básico de Educação Patrimonial. Brasília: IPHAN/Museu Imperial, 1999.

HORTA, Maria de Lourdes Parreiras; GRUNBERG, Evelina; MONTEIRO, Adriane Queiroz. Educação Patrimonial: a multiplicação do método. Brasília: IPHAN, 2000.

HORTA, Maria de Lourdes Parreiras; GRUNBERG, Evelina; MONTEIRO, Adriane Queiroz. Educação Patrimonial: Histórico, conceitos e processos. Brasília: IPHAN, 2004

IPHAN. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Decreto Nº 3.551/2000. Institui o Registro de Bens Culturais de Natureza Imaterial que constituem patrimônio cultural brasileiro, cria o Programa Nacional do Patrimônio Imaterial e dá outras providências. 2000. Disponível em: http://www.camara.gov.br/sileg/integras/. Acesso em: 10 jan. 2016.

IPHAN. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. O registro do patrimônio imaterial. 1999. Disponível em: http://www.iphan.gov.br/bens/P.%20Imaterial/imaterial.htm>. Acesso em: 20 mar. 2016.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1996.

LEE, P. Nós fabricamos carros e eles tinham que andar a pé: compreensão das pessoas do passado. In: BARCA, I. (Org.). Educação histórica e museus. Braga: CIED, Universidade do Minho, 2003.

LEE, Peter. Progressão da compreensão dos alunos em história. In: BARCA, I. (Org.). Perspectivas em educação histórica. Braga: CEEP, Universidade do Minho, 2001. p. 13-27.

LEMOS, Carlos A .C. O Que é Patrimônio Histórico. São Paulo: Brasiliense, 1987.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. Projeto história, São Paulo, n. 10, p. 7-28, dez., 1993.

OLIVEIRA, Almir Félix Batista de. Patrimônio, memória e ensino de história. In: OLIVEIRA, Margarida Maria Dias de; CAINELLI, Marlenne Rosa; OLIVEIRA, Almir Félix Batista de.(Org.). Ensino de história: múltiplos ensinos em múltiplos espaços. Natal/RN: EDFURN, 2008.

ORIÁ, Ricardo. Memória e ensino de História. In: BITTENCOURT, Circe. O saber Histórico em sala de aula. São Paulo: Contexto, 2005. p.128–148. PINTO, Helena. Interpretação de fontes patrimoniais em educação histórica. História & Ensino, Londrina, v. 18, n. 1, p. 187-218, jan./jun. 2012.

RÜSEN, Jörn. Aprendizagem histórica: fundamentos e paradigmas. Curitiba: W.A. Editores, 2012.

RÜSEN, Jörn. Como dar sentido ao passado: questões relevantes de metahistória. História da Historiografia, Rio de Janeiro, n.2, p.163-209, mar. 2009.

RÜSEN, Jörn. Cultura faz sentido: orientações entre o ontem e o amanhã. Tradução de Nélio Schneider. Petrópolis: Vozes, 2014.

RÜSEN, Jörn. El desarrollo de la competencia narrativa en el aprendizaje histórico: una hipótesis ontogenética relativa a la conciencia moral. Trad. Silvia Finocchio. Propuesta Educativa, Argentina, n.7, p. 27-37, out. 1992.

RÜSEN, Jörn. História Viva: teoria da história: formas e funções do conhecimento histórico. Brasília: UnB, 2007.

RÜSEN, Jörn. Razão histórica: teoria da história; os fundamentos da ciência histórica. Brasília: UNB, 2001.

SCHMIDT, Maria Auxiliadora. Cognição histórica situada: que aprendizagem histórica é esta? In: SCHMIDT, Maria Auxiliadora; BARCA, Isabel (Org). Aprender História: perspectivas da educação histórica. Ijuí: Editora UNIJUI, 2009. p.117- 137.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2017v23n1p31

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.