Lugar de formação: a produção intelectual discente sobre ensino de história na pós-graduação stricto sensu na região norte

Mauro Cezar Coelho, Wilma de Nazaré Baía Coelho

Resumo


Este artigo visa analisar a forma como a formação continuada de professores de história funciona em cursos de pós-graduação oferecidos na região Norte do Brasil. Nossa intenção é descobrir que tipo de educação é exercida, por meio da discussão dos conhecimentos construídos nesses programas, a partir da consideração dos temas e questões das dissertações e teses produzidas. Analisaremos a produção dos últimos cinco anos (2010-2015) dos alunos dos programas de pós-graduação em História e Educação. Entre as conclusões feitas acreditamos que os cursos de pós-graduação, ao abordar, por meio de pesquisa e produção intelectual, a relação entre história e educação, eles não estão preocupados com a história ensinada. As interfaces que se relacionam com a história e educação são abordadas a partir da perspectiva da História da Educação. Assim, o saber histórico escolar ocupa um lugar periférico nas formulações dos programas de história e educação na região Norte. Consideramos também que os processos de educação continuada devem estar diretamente relacionados à prática profissional, permitindo a reflexão sobre a prática profissional e possibilitando o desenvolvimento de estratégias para garantir a melhoria das condições de fornecimento de educação, em todos os níveis.


Palavras-chave


História. Educação. Estudos de pós-graduação. Produção intelectual de estudantes. Conhecimento histórico.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2015v21n2p181

Apontamentos

  • Não há apontamentos.