Entre textos e práticas: ensino de história, instituição escolar e formação docente

Renilson Rosa Ribeiro

Resumo


O presente artigo tem a finalidade de debater a relação entre história ensinada, instituição escolar e formação docente a partir da historiografia do Ensino de História no Brasil produzida nas últimas quatro décadas, evidenciando os dilemas, problemas e perspectivas da prática docente na construção da identidade do profissional da História. Inicialmente o texto apresenta um estado da arte acerca da definição do campo de pesquisa chamado “Ensino de História”. Em seguida, analisa como alunos e professores são interpretados e representados no discurso curricular contemporâneo, tendo por referência os Parâmetros Curriculares Nacionais. A formação do professor de História na perspectiva da formulação dos currículos das licenciaturas/bacharelados é a questão desenvolvida posteriormente com a finalidade de evidenciar as armadilhas do discurso que separa a pesquisa do ensino. No final, retomamos o debate sobre o lugar e a relevância da sala de aula, no contexto da educação básica, para a formação e a prática docente.


Palavras-chave


Ensino de História; Escola; Formação Docente

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA NETO, A. S. O ensino de História no período militar: práticas e cultura escolar. 1996. 138f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1996.

BITTENCOURT, C. M. F. Capitalismo e cidadania nas atuais propostas curriculares de História. In: BITTENCOURT, Circe M. F. (Org.). O saber histórico na sala de aula. 2 ed. São Paulo: Contexto, 1998, p. 11-27.

BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes curriculares nacionais dos cursos de história. Brasília: MEC/SESU, 2001.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: história (5ª e 8ª série). Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: introdução (1ª e 4ª série). Brasília: MEC/SEF, 1997.

BRAUDEL, F. Conferência: Pedagogia da História. Revista de História, São Paulo, v. 11, n. 23, p. 3-21, jul./set. 1955.

CABRINI, C. (Org.). Ensino de História: revisão urgente. São Paulo: Brasiliense, 1986.

CAIMI, F. E. A aprendizagem profissional do professor de História: desafios da formação inicial. Fronteiras, Dourados, v. 11, n. 20, p. 27-42, jul./dez. 2009.

CAIMI, F. E. Por que os alunos (não) aprendem História? Reflexões sobre ensino, aprendizagem e formação de professores de História. Tempo, Rio de Janeiro, v. 11, n. 21, p. 17-32, 2007.

CEREZER, O. M. Estágio Supervisionado e formação em História: entre incertezas e possibilidades. In: JESUS, N. M. de et al (Org.). Ensino de História: trajetórias em movimento. Cáceres: Ed. Unemat, 2007, p. 21-32.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, Porto Alegre, n. 2, p. 177-229, 1990.

COSTA, E. V. da. Os objetivos do ensino de História no curso secundário. Revista de História. São Paulo, v. 14, n. 29, p. 117-220, jan./mar. 1957.

FENELON, D. R. A formação do profissional da História e a realidade do ensino. Caderno Cedes, Campinas, n. 8, p. 24-31, 1983.

FONSECA, S. G.; COUTO, R. C. do. A formação de professores de História no Brasil: perspectivas desafiadoras do nosso tempo. In: ZAMBONI, E.; FONSECA, S. G. (Org.). Espaços de formação do professor de História. Campinas: Papirus, 2008, p. 101-130.

FONSECA, S. G. Caminhos da História Ensinada. Campinas: Papirus, 1993.

FONSECA, S. G. Didática e prática de ensino de História. Campinas: Papirus, 2003.

FONSECA, S. G. Ensino de História: diversificação de abordagens. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 9, n. 19, set. 1989/fev. 1990, p. 197-208.

FONSECA, S. G. Ser professor no Brasil: história oral de vida. Campinas: Papirus, 1997. FONSECA, T. N. L. Historiografia do Ensino de História no Brasil. In: JESUS, Nauk Maria de et al (Org.). Ensino de História: trajetórias em movimento. Cáceres: Ed. UNEMAT, 2007, p. 11-19.

FORQUIN, J-C. Escola e cultura: As bases sociais e epistemológicas do conhecimento escolar. Porto Alegre: Artes Médicas, 1993.

FORTUNA, C. R. A. P. O Ensino de História: uma narrativa aberta. 2001.234f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2001.

FRANÇA, E. D’O. Considerações sobre a função cultural da História. Revista de História, São Paulo, n. 8, p. 253-269, 1951.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1975.

GASPARELLO, A. M. Construtores de identidades: a pedagogia da nação nos livros didáticos da escola secundária brasileira. São Paulo: Iglú, 2004.

LAPA, J. R. A. Historiografia Brasileira Contemporânea (A História em Questão). Petrópolis: Vozes, 1981.

LAVILLE, C. A guerra das narrativas: debates e ilusões em torno do ensino de Histó- ria. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 19, n. 38, p. 125-138, 1999.

LE GOFF, J. (Org.). A Nova História. Lisboa: Edições 70, 1984.

LUCINI, M. Tempo, Narrativa e Ensino de História. Porto Alegre: Mediação, 2000.

MATTOS, Ilmar R. “Mas não somente assim!” Leitores, autores, aulas como texto e o ensino-aprendizagem de História. Tempo, Rio de Janeiro, v. 11, n. 21, p. 05-16, 2007.

MIRANDA, S. R. Sob o signo da memória: cultura escolar, saberes docentes e histó- ria ensinada. São Paulo: Ed. UNESP, 2007.

MONTEIRO, A. M. Professores de História: entre saberes e práticas. Rio de Janeiro: Maud X; FAPERJ, 2007. NADAI, E. A escola pública contemporânea: os currículos oficiais de História e o ensino temático. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 06, n. 11, p. 99-116, set. 1985/fev. 1986.

MONTEIRO, A. M. O ensino de História no Brasil: trajetória e perspectiva. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 13, n. 25/26, p. 143-162, set. 1992/ago. 1993.

NIKITIUK, S. L. (Org.). Repensando o ensino de História. 2 ed. São Paulo: Cortez, 1999.

NÓVOA, A. (Coord.). Os professores e a sua formação. 2 ed. Lisboa, Nova Enciclopédia, 1995. OLIVEIRA, V. F. Práticas do Ensino de História: entre saberes e sabores. In: JESUS, Nauk Maria de et al (Org.). Ensino de História: trajetórias em movimento. Cáceres: Ed. UNEMAT, 2007, p. 33-39.

ORLANDELLI, S. H. A representação identitária do professor de História: um estudo com depoimentos orais. 1998. 196f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1998.

PINSKY, J. (Org.). O ensino de história e a criação do fato. 6 ed. São Paulo: Contexto, 1994. RIBEIRO, R. R. Entre textos e leituras: As representações do fazer do professor de História no discurso historiográfico (São Paulo, últimas décadas do século XX). Fronteiras, Campo Grande, v. 7, n. 14, p. 9-36, 2003.

PINSKY, J. Fora da realidade. Revista de História da Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro, vol. 1, n. 3, p. 79-81, 2005.

RICCI, C. S. A academia vai ao ensino de 1o e 2o graus. Revista Brasileira de Histó- ria, São Paulo, v. 9, n. 19, p. 135-142, set. 1989/fev. 1990.

SCHÖN, D. A. Educando o profissional reflexivo: um novo design para o ensino e aprendizagem. Porto Alegre: Artes Médicas, 2000.

SCHMIDT, M. A. A formação do professor de História e o cotidiano da sala de aula. In: BITTENCOURT, C. M. F. (Org.). O saber histórico na sala de aula. 2 ed. São Paulo: Contexto, 1998, p. 54-66.

SCHMIDT, M. A.; BARCA, I.; MARTINS, E. de R. (Org.). Jörn Rüsen e o ensino de História. Curitiba: UFPR, 2010.

SAID, E. W. Reflexões sobre o exílio e outros ensaios. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. SILVA, C. B. Os labirintos da construção do conhecimento histórico. 1996. 153f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1996.

SILVA, M. A.; ANTONACCI, M. A. M. Vivências da contramão – Produção de saber histórico e processo de trabalho na escola de 1o e 2o graus. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 9, n. 19, p. 9-29, set. 1989/fev. 1990.

SILVA, M.; A.; FONSECA, S. G. Ensino de História hoje: errâncias, conquistas e perdas. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 31, n. 60, p.13-33, 2010.

SILVA, M. A. (Org.). Repensando a História. Rio de Janeiro: ANPUH; Marco Zero, 1984.

STEPHANOU, M. Currículos de História: Instaurando maneiras de ser, conhecer e interpretar. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 18, n. 36, p.15-38, 1998.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. 2 ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

TARDIF, M. Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Elementos para uma epistemologia da prática profissional dos professores e suas consequências em relação à formação para o magistério. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 13, p. 6-24, 2000.

ZAMBONI, E. Projeto pedagógico dos Parâmetros Curriculares Nacionais: identidade nacional e consciência histórica. Caderno Cedes, Campinas, v. 23, n. 61, p. 367- 377, dez. 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2015v21n2p151

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.