Aula de história: evento, ideia e escrita

Helenice Aparecida Bastos Rocha

Resumo


O artigo busca contribuir para o tratamento da aula e de seu planejamento como conteúdos na formação de professores de História. Para isso, dialoga com bibliografia historiográfica e pedagógica sobre o tema, considerando a especificidade dos conteúdos e objetivos da aula de História no ensino básico.  Levando em conta a pluralidade constitutiva de alternativas didáticas para o ensino de história na escola, o texto se divide em quatro partes: a aula como unidade singular e rotineira, especificidades curriculares da história escolar e da organização do ensino na escola, o planejamento do ensino em diferentes escalas e o planejamento de sequencias didáticas como uma primeira escrita da história escolar que se realiza na aula.


Palavras-chave


Ensino de história; Aula; Planejamento; Tempo escolar; Sequência didática

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais: história. Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BURKE, P. Abertura: a nova história, seu passado e seu futuro. In: BURKE, Peter (Org.). A escrita da História: novas perspectivas. São Paulo: Ed. UNESP, 1992, p. 7-37.

BURKE, P. A Escola dos Annales: 1929-1989: a revolução francesa da historiografia. São Paulo: Ed. UNESP, 1997.

CARDONA, F. X. H. Didáctica de las Ciencias Sociales, Geografía e Historia. Barcelona: Editorial GRAÓ, 2002.

CORDEIRO, J. A relação pedagógica. In: Universidade Estadual Paulista. Caderno de formação: formação de professores, didática dos conteúdos. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2011, v. 2, p. 66-79.

FARIA FILHO, L. M.; GONÇALVES, I. A.; VIDAL, D. G.; PAULILO, A. L. A cultura escolar como categoria de análise e como campo de investigação na história da educação brasileira. Educação e Pesquisa. São Paulo, v. 30, n. 1, p. 139-159, 2004.

FELGUEIRAS, M. L. Pensar a história, repensar o seu ensino. Porto: Porto Editora, 1994.

GRINBERG, K. et al. Oficinas de História: Projeto Curricular de Ciências Sociais e História. Belo Horizonte: Dimensão, 2000.

LERNER, D. Ler e Escrever na Escola: o real, o possível e o necessário. Porto Alegre: Artmed, 2005.

LIBÂNEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez, 1992.

MATTOS, I. R. de. “Mas não somente assim!” Leitores, autores, aulas como texto e o ensino-aprendizagem de História. Tempo. Rio de Janeiro, n. 21, p. 15-26, 2006.

KNAUSS, P. Sobre a norma e o óbvio: a sala de aula como lugar de pesquisa. In NIKITIUK, Sonia L. (Org.). Repensando o Ensino de História. São Paulo: Cortez, 1996.

ROCHA, H. A. B. O lugar da linguagem no ensino de História: entre a oralidade e a escrita. 2006. 466f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2006.

ROCHA, H. A.; CAIMI, F. E. A(s) história(s) contada(s) no livro didático hoje: entre o nacional e o mundial. Revista Brasileira de História. São Paulo, v. 34, n. 68, p. 125-147, 2014.

SHULMAN, L. Those who understand: Knowledge growth in teaching. Educational resaercher. n.15, v. 2, p. 4-14, 1989.

STEPHANOU, M. Instaurando maneiras de ser, conhecer e interpretar. Revista Brasileira de História. São Paulo, v.18, n. 36, p.15-38, 1998




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2015v21n2p83

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.