História em conflito: discutindo os conceitos e preconceitos da história com os docentes recém-formados pela UEPB - Campus III

Paulo Gracino

Resumo


Este artigo apresenta o resultado de uma discussão teórico-conceitual desenvolvida em torno da definição de História, envolvendo os professores recém-formados pela UEPB – campus III – a partir dos discursos produzidos por alguns nomes da historiografia mundial na contemporaneidade. Participaram da discussão os professores formados no ano de 2013 e 2014, com entrada no ano de 2010. O que motivou a pesquisa foi a necessidade de nos posicionarmos diante do nosso objeto de estudo/ensino, a História. Afinal, somos professores de História e precisamos saber, primeiramente, o que ela é, para só assim agirmos com consciência no ato do ofício. O objetivo principal da pesquisa é analisar como estão sendo formados os profissionais do ensino da História, tendo como referência os docentes abordados e, consequentemente, imaginarmos como está sendo desenvolvida a prática do ofício.


Palavras-chave


História; Historiografia; Ensino de História.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE JÚNIOR, D. M. História: a arte de inventar o passado. Ensaios de teoria da história. Baurú: EDUSC, 2007. v. 1000. 254 p.

BLOCH, Marc. Apologia da história ou ofício do historiador. Rio de Janeiro: Jorge Zarah Editor, 2001.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: história. Brasília: MEC/SEF, 1998.

CERTEAU, M. de. A escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1982.

CHARTIER, R. A história ou a leitura do tempo. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2010.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Tradução de Guacira Lopes Louro. Revista Histoire de l´éducation. n. 38, maio 1988.

FERREIRA, A. B. H. Miniaurélio Século XXI Escolar: O minidicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

JENKINS, K. A História Repensada. São Paulo: Contexto, 2001, p. 23 – 52.

LE GOFF, J. História e memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 2012. PESAVENTO, S. J. História & História Cultural. Belo Horizonte: Autêntica, 2003.

PINSKY, J. Por que gostamos de História. São Paulo: Contexto, 2013.

PINNKY, J.; PINSKY, C. B. Por uma História prazerosa e consequente. In: PINNKY, J.; PINSKY, C. B. História na sala de aula: conceitos, práticas e propostas. São Paulo: Contexto, 2010.

REIS. J. C. Da história global à história em migalhas: o que se ganha, o que se perde? História & Teoria. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2003, p.67-95.

VEYNE, P. M. Como se escreve a história. Brasília: Editora UNB, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2015v21n1p271

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br