As histórias, os sujeitos, as narrativas: uma análise do regime fascista nos livros didáticos

Ana Paula Rodrigues Carvalho

Resumo


Essa pesquisa analisa como o fascismo italiano é abordado nos materiais didáticos. São analisados aqui dois livros didáticos, História Global de Gilberto Cotrim e História de Ronaldo Vainfas, Sheila Faria, Jorge Ferreira e Georgina dos Santos. O objetivo desta pesquisa consiste em compreender a concepção de História e Ensino de História dos autores a partir da narrativa elaborada sobre o fascismo. Os principais aspectos observados para nortear a análise foram a natureza da narrativa histórica, os sujeitos históricos apontados no texto, a presença ou ausência da pluralidade de interpretações históricas e a relação presente/passado. Nos livros abordados a disciplina escolar História ainda é pensada como a ciência que se ocupa dos fatos passados e, portanto desvinculados do presente. Os fatos são organizados de forma linear seguindo a ordem de causas e conseqüências. A concepção de Ensino, observada nos capítulos analisados, não remete a construção do conhecimento em sala de aula, mas somente a transmissão de dados. A narrativa histórica é dada como pronta, não apresenta espaço para discutir outras interpretações históricas possíveis do mesmo tema.


Palavras-chave


Livro Didático. Fascismo. Ensino de História.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2015v21n1p289

Apontamentos

  • Não há apontamentos.