A educação, o ensino de história e o currículo mínimo do estado do Rio de Janeiro: currículo escrito, em ação e formação de professores

Thiago Rodrigues Nascimento

Resumo


A educação fluminense enfrenta, atualmente, uma crise. Os professores, a partir de mecanismos coercitivos propostos pela Secretaria de Estado de Educação (SEEDUC), têm a sua autonomia pedagógica ameaçada. A partir de fevereiro de 2011 começou a ser publicado o currículo mínimo das disciplinas que compõem os ensinos fundamental e médio. O objetivo deste artigo é analisar a construção do currículo mínimo, seus objetivos, o contexto em que foi elaborado e como os professores estão sendo formados (ou não) para trabalhar com esse documento. Discutimos sobre o lugar da História no currículo da rede estadual e o currículo mínimo de História. Tomamos como fonte, além dos documentos normativos elaborados pela SEEDUC, indicadores de avaliações como o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica e notícias sobre a educação fluminense publicadas em periódicos.

Palavras-chave


Ensino de História; Currículo Mínimo; Formação de Professores;

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2013v19n2p87

Apontamentos

  • Não há apontamentos.