Cenários revolucionários em cena: reflexões sobre consciência histórica, transformação social e expectativa em alunos do Ensino Médio.

Chrystian Wilson Pereira

Resumo


Considerando a história como uma ferramenta cognitiva de reflexão social no âmbito da educação histórica, propõe-se uma reflexão acerca de uma experiência com alunos de Ensino Médio no Estágio Supervisionado proporcionado pelo curso de graduação em História da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). O trabalho com cenários de transformação social no início do século XX (notadamente as Revoluções Russa e Mexicana) permitiu questionar as expectativas dos alunos em temas concernentes à coletividade. Que sentidos foram atribuídos a estes passados revolucionários, tais como foram representados e particularizados por adolescentes da segunda metade deste novo milênio? O artigo utiliza-se de uma variedade de materiais escritos realizados para problematizar as próprias construções narrativas empreendidas pelos estudantes, entendidas como manifestações de suas consciências históricas.


Palavras-chave


Ensino de História. Revolução. Expectativa.

Texto completo:

PDF

Referências


BARCA, I. Aula oficina: do projeto à avaliação. In BARCA, I. (Org.). Para uma educação histórica de qualidade. Actas das IV Jornadas Internacionais de Educação Histórica. Braga: Universidade do Minho, 2004, p. 131-144.

CERRI, L. F. Cartografias temporais: metodologias de pesquisa da consciência histórica. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 36, n. 1, p. 59-81, jan/abr 2011.

HARTOG, F. Tempo e patrimônio. Varia História. Belo Horizonte, v. 22, n. 36, 2006.

KOSELLECK, R. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio, Contraponto 2006.

NORA, P. Entre Memória e História: a problemática dos lugares. Projeto História. São Paulo: PUC, n. 10, pp. 07-28, dezembro de 1993.

RÜSEN. J. Como dar sentido ao passado: questões relevantes de meta-história. História da Historiografia, n. 02, p. 163-209, março 2009.

RÜSEN. J. História Viva. Teoria da História III: formas e funções do conhecimento histórico. Brasília: UNB, 2007.

SCHMIDT, M. A.; BARCA, I. (Org.). Aprender História: perspectivas da educação histórica. Ijuí: Editora UNIJUI, 2009.

SCHMIDT, M. A.; CAINELLI, M. (Org.). Ensinar História. São Paulo: Scipione, 2004.

ZABALA, A. A Prática Educativa: como ensinar. Porto Alegre: ArtMed, 1998.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2013v19n2p115

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br