“Para as crianças e homens simples do povo”: uma análise a partir dos livros didáticos de história do Brasil

Alexandra Lima da Silva

Resumo


O presente artigo tem por objetivo compreender os significados dos livros didáticos de História do Brasil voltados para as classes elementares entre 1890-1920. Explorar os livros didáticos em seus títulos, prefácios, dedicatórias, capas, fornece indícios preciosos na localização e articulação entre os envolvidos na produção didática, indiciando mudanças e permanências neste processo desde finais do século XIX. Dentre os livros didáticos, serão analisados especificamente os livros didáticos de História do Brasil voltados para o ensino primário, como as pequenas histórias do Brasil escritas por diferentes autores. Inserimos esta investigação nas perspectivas da história da educação e das disciplinas escolares, compreendendo o acesso ao livro didático e ao universo da cultura letrada como uma possibilidade de ampliação de direitos de cidadania, vislumbrados com o ingresso em escolas, dentre outros, como manifestações de luta e expressão de embates em torno da ampliação de direitos e participação, com ênfase aos discursos e práticas em prol à educação “para o povo” e “para as crianças”.


Palavras-chave


Livros didáticos;História do Brasil; Ensino Primário

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, M. G. L. de. Resumo de História do Brasil. 2 ed. Boston (Estados Unidos): Ginn & Company, 1894.

BITTENCOURT, A. Dicionário bio-bibliográfico de mulheres ilustres, notáveis e intelectuais. Rio de Janeiro: Editora Pongetti, 1969.

BITTENCOURT, C. Livro didático e conhecimento histórico: uma história do saber escolar. Tese (Doutorado)- Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, São Paulo, 1993.

CHARTIER, R. A História Cultural entre práticas e representações. Lisboa, Difel, 1988.

CHAMON, C. S. A escola em reforma, saberes em trânsito. A trajetória de Maria Guilhermina Loureiro de Andrade (1869-1913). Belo Horizonte:Autêntica, 2008.

CHERVEL, A. História das disciplinas escolares: reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação, n. 2, 1990, p. 177-229.

COUTO, Pedro. Pontos de História do Brasil. 2 ed. Rio de Janeiro: Jacinto Ribeiro Editor, 1920.

DARNTON, Robert. O beijo de Lamourette: mídia, cultura e revolução. São Paulo: Cia das Letras, 1990.

DAVIS, Natalie Zemon. Culturas do Povo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.

FAUSTO, B. Trabalho Urbano e conflito social. São Paulo: Difel, 1977.

HARDMAN, F. F. Nem Pátria, nem patrão. (Vida operária e cultura anarquista no Brasil). São Paulo: Brasiliense, 1983.

FEBVRE, L.; MARTIN, H-J. O aparecimento do livro. São Paulo, Ed. da UNESP, 1992.

FREITAS, I. História do Brasil para crianças: o livro escolar nos primeiros anos da República e a iniciativa de Joaquim Maria de Lacerda. Cadernos de História da Educação (UFU), v. 6, p. 121-132, 2007.

FREITAS, I. História do Brasil para crianças: a iniciativa de Sílvio Romero. In:. VI Encontro Nacional Perspectivas do Ensino de História. Natal: Editora da UFRN, 2007. p. 61-61.

GALVÃO, A. M. M. Livros escolares de leitura: caracterização e usos (Pernambuco, século XIX). Relatório final de pesquisa CNPq, 2003.

GASPARELLO, A. Construtores de identidades: os compêndios de História do Brasil do Colégio Pedro II (1838-1920). Tese de Doutorado em Educação, PUC/SP, 2002.

GINZBURG, C. O queijo e os vermes. O cotidiano e as idéias de um moleiro perseguido pela Inquisição. Cia das Letras, São Paulo. 1987.

HANSEN, P. Brasil, um país novo: literatura cívico-pedagógica e a construção de um ideal de infância brasileira na Primeira República. 2007. Tese (Doutorado em História Social) – Universidade de São Paulo, 2007.

HANSEN, P. Feições e fisionomia: a história do Brasil de João Ribeiro, Rio de Janeiro: Acess, 2000.

JULIA, D. Disciplinas escolares: objetivos, ensino e apropriação. In: LOPES, A.; MACEDO, E. (Org.). Disciplinas e integração curricular: história e políticas. RJ: DP&A, 2002.

LUCCHESI, F. A história como ideal: reflexões sobre a obra de José Francisco da Rocha Pombo. Dissertação (Mestrado), FFLCH, USP, 2004.

MACIEL, L. A. De ‘o povo não sabe ler’ a uma história dos trabalhadores da palavra. In: MACIEL, L. A.; ALMEIDA, P. R.; KHOURY, Y. A. (Org.). Outras histórias: memórias e linguagens. São Paulo: Olho d’Água, 2006.

MAGALDI, A. M. B. M. Lições de casa. Discursos pedagógicos destinados à família no Brasil. Belo Horizonte: Argumentum, 2000.

MATTOS, S. O Brasil em Lições de Joaquim Manuel de Macedo. A história do ensino de história do Brasil através dos manuais de Joaquim Manuel de Macedo. Mestrado em Educação.Rio de Janeiro, FGV, 1993.

MACEDO, J. M. de. Lições de História do Brasil para uso das classes primárias. 9 ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1905.

MEDRANO, L.; VALETON, L.; GOMES, L. M. da S. O Compêndio de História da América de Rocha Pombo: Uma apreciação crítica. In: Notícia Bibliográfica e Histórica. PUC. jul/set. 2003

MELO, C. B. de. Senhores de História: a construção do Brasil em 2 manuais didáticos de história da segunda metade do século XIX. Doutorado em Educação, São Paulo, FAE/USP, 1997.

MOTA, M. A. R. Sílvio Romero. Dilemas e combates no Brasil da virada do século XX. Rio de Janeiro: FGV, 2000.

PÉCAUT, D. Os intelectuais e a política no Brasil: entre o povo e a nação. São Paulo: Ática, 1990.

PEIXOTO, A. Minha terra e minha gente. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1916.

POMBO, J. F. da R. Nossa pátria. Narração dos fatos da História do Brasil através da sua evolução com muitas gravuras explicativas. São Paulo: Melhoramentos, 1917.

RIBEIRO, J. Prefácio. In: ROMERO, S. A História do Brasil ensinada pela biografia de seus heróis. Rio de Janeiro: Livraria Clássica de Alves e Companhia, 1890.

ROMERO, S. Mensagem dos homens de letras do Rio de Janeiro ao Governo Provisório da República do Brasil. In: Novos estudos de literatura contemporânea. Paris: Garnier, 1898.

SCHUELER, A. Combates pelo ofício em uma escola moralizada e cívica: a experiência do professor Manoel José Pereira Frazão. Revista Brasileira de História da Educação, Campinas, v. 9, p. 109- 139, jan./jun, 2005.

SILVA, A. L. Ensino e mercado editorial de livros didáticos de História do Brasil – Rio de Janeiro (1870-1924). 2008, Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2008.

SIRINELLI, F. Os Intelectuais. In: REMOND, R. Por uma História Política. 2. ed. Tradução de Dora Rocha. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2003. p. 231-269

TEIXEIRA, G. B. O grande mestre da escola: os livros de leitura para a escola primária da capital do Império brasileiro. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2008.

VILLELA, H. A Imprensa Pedagógica e constituição da profissão docente: alguns embates. In: GONDRA, J. (Org.). Dos arquivos à escrita da história: a educação brasileira entre o Império e a República. Bragança Paulista: EDUSF, 2001.

VIÑAO, A. Las autobiografias, memórias y diários como fuente históricoeducativa: tipologia y usos. Teias. Revista da Faculdade de Educação, Rio de Janeiro, p. 82-97, n. 1, jun. 2000.

ZEFERINO, J. S. Às avessas e o Decadentismo no hospício de Rocha Pombo. 2006. Monografia (Especialização em Letras) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2006.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2012v18n2p161

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Hist. Ensino
E-Issn: 2238-3018
DOI10.5433/2238-3018
E-mail: labhis@uel.br