O "negro" no livro didático de história do Ensino Médio e a Lei 10.639/03.

Fernando Santos Jesus

Resumo


Este estudo investiga a representação do negro no livro didático de historia do Brasil em consonância da tentativa de criação de uma identidade brasileira, que em suas formas contraditórias de negação das matrizes africanas exclui os negros dos espaços sociais de produção do saber através da irradiação da violência simbólica, e, por conseguinte, da propagação do racismo. Para consecução deste estudo teórico, fazemos uma analise de conteúdo de um capitulo de um livro didático de história no conteúdo de história do Brasil utilizado em escola de ensino médio mantido pelo estado do Rio de Janeiro, buscando analisar se os dispositivos da lei 10.639/03 e as diretrizes curriculares nacionais para a educação das relações étnicorraciais para o ensino de história e cultura afro – brasileira e africana estão sendo contemplados no material analisado. Os resultados desse estudo apontam para a necessidade de ressignificação de textos e imagens da população negra nos livros didáticos, pois a invisibilidade da população negra constitui para uma possível desmobilização desse contingente populacional por não se ver enquanto ativos nos processos políticos do país que cultiva o mito da democracia racial, mas continua vinculando imagens pejorativas ao cotidiano de negros e negros sem contextualiza-los sobre os motivos das condições materiais e simbólicas inferiores as dos brancos.


Palavras-chave


Racismo. Simbólico. Livros Didáticos. Textos e Imagens.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2012v18n1p141

Apontamentos

  • Não há apontamentos.