Os sentidos no ensino de história

Gabriel Vinicius Vieira, Aline Machado Krause

Resumo


Este artigo consiste na exposição da aplicação prática da proposta de trabalhar temas históricos na sala de aula utilizando os sentidos como técnica principal para evocação da curiosidade e do conhecimento, mas sem reduzir essa mesma curiosidade e esse mesmo conhecimento apenas aos sentidos. Tendo como influências teóricas os pensamentos sobre escolas de Illich, sobre oficinas de Corrêa, sobre micro-história de Ginzburg e sobre história cultural de Peter Burke, temos como objetivo uma aula em que os alunos participem não só através das perguntas do professor, mas também do próprio desenvolvimento dos temas, e que materializa o conhecimento sobre sociedades antigas, da vida de pessoas que morreram há milênios, lembrando da importância destes temas para a nossa sociedade e da importância tanto da vida individual e social como das estruturas políticas, econômicas, culturais e sociais. Assim, pretendemos uma aula divertida, interessante, engraçada, mas sem esquecer-se da história e sem subestimar o conhecimento das crianças.


Palavras-chave


Sentidos. Ensino de História. Interação.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2238-3018.2011v17n2p383

Apontamentos

  • Não há apontamentos.