OS JAPONESES E A TEICULTURA NO MUNICÍPIO DE REGISTRO: A PAISAGEM COMO RESULTADO DE UM PROCESSO MIGRATÓRIO

Alessandro Aoki, Maria das Graças de Lima

Resumo


A imigração japonesa no Brasil foi responsável pela introdução de uma nova cultura, cuja identidade será cristalizada, à medida que as relações sociais vão se aprofundando, por meio da vivência em grupos, sejam da mesma etnia ou não. Dessa forma, a preocupação foi de retratar o modo de vida do imigrante japonês, do passado ao presente, numa relação que levará em conta o trabalho e cultura de um grupo de etnia oriental. Trata-se de contextualizar as relações que envolvem a colônia japonesa e a teicultura, técnica agrícola empregada no cultivo do chá no município de Registro. Essa relação remete à formação de uma identidade cultural firmada nos princípios da organização do trabalho do imigrante japonês ao longo de quase cem anos de colonização, a ser completada no ano de 2012. Portanto, visou caracterizar todo o processo da construção da paisagem numa escala de espaço e tempo, entre o passado e o presente, representados pela memória dos descendentes dessa cultura oriental que contribuíram com lembranças de um passado recente.

Palavras-chave


Cultura e Migração

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2011v20n2p129

Direitos autorais 2012 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com