A contradição como parâmetro de compreensão da existência camponesa

João Edmilson Fabrini

Resumo


O mundo da mercadoria e a idéia de uniformidade das relações capitalistas de produção levam à compreensão do campesinato como uma classe em extinção. Neste contexto, o campesinato foi teorizado pelo seu fim. Por outro lado, a teoria marxista imputou o sentido de divisão da sociedade em classes e sua reprodução contraditória e desigual, possibilitando a compreensão da existência camponesa no interior das relações capitalistas de produção.


Palavras-chave


Camponeses, Contradição, Relações Capitalistas, Território.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2004v13n2p117

Direitos autorais 2010 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com