Avaliação de Erosão por Imagens de Aeronave Remotamente Pilotada a Baixa Altura de Voo

Alexandre Aquino da Cunha, Mauro José Alixandrini Jr, Vivian de Oliveira Fernandes

Resumo


Este artigo tem como objetivo a proposição de um estudo acerca da avaliação do potencial do Aeronave Remotamente Pilotada, também conhecida como RPA (Remotely Piloted Aircraft), como plataforma de obtenção de dados para monitoramento de erosão. É proposta uma metodologia para monitorar processos erosivos oriundos de ravinas e voçorocas, com geração de ortofoto e modelo digital de elevação, proporcionando condições de se executar medidas precisas de parâmetros de comprimento, área e volume para quantificação do processo erosivo. Na primeira área de estudo foram aplicados testes em uma região de morro para cálculo de volume positivo, no qual foram utilizados pontos de apoio e sinalização de marcações no solo. Com isso, o valor do volume obtido com o uso de RPA obteve valores finais próximos dos valores de referência com a utilização da estação total. Assim, pode-se dizer que a utilização de marcações no solo foi uma técnica que favoreceu melhores resultados nos testes propostos. No levantamento com o RPA na segunda região de estudo verificou-se a diminuição da densidade na nuvem de pontos devido à oclusão de algumas áreas interiores da ravina, ocasionando altas discrepâncias de volume nas comparações com os valores de referência.

Palavras-chave


Aerofotogrametria; RPA; Erosão.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2020v29n1p191

Direitos autorais 2020 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com