Análise temporal da incidência de leishmaniose tegumentar em municípios da Região do Parque Estadual do Aguapeí - SP

Natália Poiani Henriques

Resumo


A Leishmaniose Tegumentar (LT) é uma doença infecto-parasitária, não contagiosa, transmitida aos mamíferos através da picada de flebotomíneos, infectados por protozoários do gênero Leishmania. Registrada em todas as regiões brasileiras desde 2003, esta doença apresenta incidência variável e diferentes perfis epidemiológicos. O presente estudo analisou temporalmente a incidência da LT na população dos municípios que integram o Parque Estadual do Aguapeí (PEA), São Paulo, Brasil. Para tanto, acessou-se o número de casos humanos confirmados de LT, por município de infecção, de 1998 a 2016, disponíveis no Centro de Vigilância Epidemiológica, da Secretaria de Saúde do Estado e dados na literatura. O registro da doença na área de estudo remonta a década de 1930 e dados recentes indicam a transmissão da LT em intensidade variável. No ano de 2015 a intensidade de transmissão da LT foi considerada alta nos municípios de São João do Pau D’Alho e Nova Independência e média em Junqueirópolis e Monte Castelo. Conclui-se que o Parque está inserido em municípios com histórico de incidência da doença, sendo importante o incentivo à realização de monitoramento de tendências espaço-temporais e de estudos sobre as condições relacionadas à transmissão da LT nesta região.

Palavras-chave


Leishmaniose Tegumentar; Incidência; Parque Estadual do Aguapeí.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2019v28n1p207

Direitos autorais 2019 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com