Vetores das leishmanioses no Parque Estadual do Morro do Diabo (PEMD), Município de Teodoro Sampaio - SP, Brasil

Baltazar Casagrande, Raul Borges Guimarães

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a similaridade, a dominância e a diversidade das comunidades de flebotomíneos do interior e da borda do Parque Estadual do Morro do Diabo (PEMD). Este trabalho foi realizado por meio de coletas noturnas de flebotomíneos, utilizando armadilhas tipo Shannon e CDC. Os dados foram analisados pelo software PAST e DivEs. Foram encontrados no interior do PEMD quatro espécies diferentes de flebotomíneos, sendo 190 exemplares de Nyssomyia neivai, 128 de Pintomyia pessoai, quatro Evandromyia carmelinoi e dois Nissomyia whitmani. Já na borda foram encontradas cinco espécies diferentes, sendo 1620 exemplares de Nyssomyia neiva, 12 de Nissomyia whitmani, quatro de Evandromyia lenti, um de Psathyromyia aragaoi e um exemplar de Brumptomyia brumpti. Diante destes dados, constatou-se que o índice de similaridade entre as comunidades de flebotomíneos do interior e da borda do parque foi de 0,44,o índice de dominância de 0,50 e a diversidade com diferença significativa de 0,015. Os parâmetros obtidos e calculados foram importantes entender a similaridade e dominância entre as comunidades de flebotomíneos do parque, sendo a similaridade entre as diferentes comunidades baixa e não apresentada uma dominância de espécie. Foi encontrada uma diferença significativa na diversidade de espécies entre as amostras.

Palavras-chave


Leishmanioses; Geografia da Saúde; Flebotomíneos; Biogeografia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2019v28n1p225

Direitos autorais 2019 BALTAZAR CASAGRANDE, Raul Borges Guimarães

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com