Psicosfera e Mineração de Metais na Argentina: o Mito da Criação de Empregos nas Províncias de Catamarca e San Juan

Sebastián Gómez Lende

Resumo


No período histórico contemporâneo, é habitual que as novas funções da divisão territorial do trabalho e os usos modernos do território operem alí onde se instalam, como formas de acumulação por espoliação. A implementação e continuidade destas funções requer a produção de uma psicoesfera, entendida como um conjunto de legitimações ideológicas que assegurem o consenso social ou coletivo para a adoção de um modelo hegemônico de modernização territorial. O objetivo deste trabalho é analisar a relação entre o boom da mineração metalífera e a criação de empregos na Argentina entre finais da década de 1990 e a atualidade, tomando como estudos de caso as províncias de Catamarca e San Juan. O artigo contrasta, por um lado, o discurso ou a fábula estatal e corporativa que alardeou o mito do efeito derrame, e, pelo outro, a realidade do setor no mercado de trabalho em nível nacional, provincial e local. Neste sentido, analisam-se aspectos fundamentais, tais como a geração de empregos diretos e indiretos, a origem geográfica da força de trabalho e a precariedade das condições trabalhistas.


Palavras-chave


Psicosfera; Mineração de Metais; Emprego Local; Argentina; Províncias de Catamarca y San Juan.

Texto completo:

PDF (Español (España))


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2016v25n1p183

Direitos autorais 2016 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com