Escalas de poder e políticas educacionais no Brasil e no Paraná na década de 1990

Deuseles de Oliveira

Resumo


Compreender as transformações que ocorrem no sistema educacional brasileiro e paranaense e analisá-las por meio da dimensão espacial da geografia política. Para tanto, o instrumental teórico precisa ser amplo de tal maneira que contribua para a compreensão de processos e fatores que ocorrem no campo político e econômico por meio do desenvolvimento teórico de conceitos de Estado, poder, território e descentralização. Destaca-se a importância de pesquisar a política educacional produzida pelos agentes políticos em diferentes escalas de poder – nacional e estadual, pois estas se materializam no espaço geográfico com a exerção do poder político dentro do sistema educacional. Assim, na escala nacional, procurou-se analisar as ações governamentais desenvolvidas no setor educacional a partir da aprovação da Constituição Federal de 1988. Para a escala estadual, o estudo possui recorte temporal semelhante. Tais ações são analisadas a partir de dados estatísticos que demonstram os investimentos do governo estadual nos gastos com o Ensino Fundamental. Com esses dados é possível identificar como os atores políticos do estado utilizaram o poder político para implementar a municipalização da oferta das séries iniciais do ensino fundamental no estado do Paraná na década de 1990.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2009v18n2p151

Direitos autorais 2009 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com