Residências secundárias e estruturação sócio-espacial da zona costeira cearense, Brasil

Andrea de Castro Panizza, Alexandre de Queiroz Pereira

Resumo


A zona costeira cearense vem sendo transformada a partir da década de 1970. O entendimento do processo de estruturação deste recorte espaço-temporal demanda uma leitura que integre não somente os vinte municípios litorâneos cearenses, mas também a região metropolitana de Fortaleza, elemento importante no contexto regional. Nossa investigação privilegia a informação espacial, e tenta demonstrar a existência, ou não, de uma correlação entre variáveis como investimentos, infra-estrutura viária, residências secundárias e dinâmica populacional. A descrição e análise destas variáveis permitiram a classificação e a apreensão de alguns traços da dinâmica sócio-espacial, evidenciando estabilidades e transformações nos espaços em questão. Dentre elas destaca-se a consolidação do parque de residências secundárias em meio aos domicílios particulares e a formação dos espaços de vilegiatura associados aos novos lugares turísticos, sobretudo nas pequenas e médias cidades cearenses.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2009v18n2p53

Direitos autorais 2009 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com