Aquisição e leitura da carta topográfica digital do IBGE

Danilo Heitor Caires Tinoco Bisneto Melo, Edmilson Martinho Volpi, Hailton Mello da Silva, Leonardo Araújo Menezes, Pablício Vieira Moura

Resumo


Há décadas a principal forma de compartilhar e armazenar dados geográficos era realizada por meio de arquivos impressos e gravados em meio analógico (papel ou foto). Hoje, com a implementação dos sistemas digitais e a internet tornou isto mais prática e rápida, culminando na disseminação da informação. No Brasil, um dos órgãos responsáveis pelo mapeamento territorial é o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que possui um sítio eletrônico no qual disponibiliza inúmeros documentos cartográficos, como por exemplo as Cartas Topográficas. Todavia, a maioria destes materiais foram confeccionados no meio analógico, sendo necessário efetuar a sua conversão para o meio digital. Este processo envolve a discretização da informação e foi realizado no modo monocromático, acarretando na separação de seu conteúdo em Fotolitos. O objetivo deste trabalho é demonstrar como adquirir este material no sítio eletrônico do IBGE e descrever o processo de conversão do meio analógico para o digital e a sua divisão em Fotolitos, bem como as normativas utilizadas na nomenclatura destes arquivos. Com isto, estes arquivos podem ser melhor aproveitados e utilizados, principalmente num banco de dados geográfico ou num Sistema de Informação Geográfica.

Palavras-chave


Carta Topográfica; Amostragem; Quantização.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2447-1747.2014v23n1p191

Direitos autorais 2015 GEOGRAFIA (Londrina)

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Locations of visitors to this page

 

Geografia (Londrina)

ISSN: 0102-3888

E-ISSN: 2447-1747 

E-mail: revista.geografia.uel@gmail.com