O percurso dos salmões e o processo da memória

Daniel Carlos Santos da Silva

Resumo


O conto "Madre, no entiendo a los salmones" (1990), escrito por Montserrat Roig, apresenta o relato de um republicano transmitido à protagonista Norma, que caminha entre distintos tempos empreendendo um intrincado processo rememorativo, simbolizado pelo movimento realizado pelos salmões do mar até o rio onde nascem. Nosso estudo propõe analisar de que maneira os diferentes planos narrativos se relacionam, visando à reflexão sobre a importância da memória na vida das personagens retratadas. Isso nos leva a considerar a importância do animal não humano para o texto literário, que compreende o período do pós-guerra civil espanhola e o sufocamento de um passado que vitimou milhares de republicanos nos campos de concentração nazistas.

Palavras-chave


Madre, no entiendo a los salmones; Memória; Pós-guerra civil espanhola.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br