O humano em seu devir, em dois contos de Felisberto Hernández

Ana Carolina Macena Francini

Resumo


Este artigo apresenta uma leitura de dois contos do escritor uruguaio Felisberto Hernández, "Cocodrilo" (1949) e "La mujer parecida a mí" (1949), publicados no pós-guerra, período em que as concepções dominantes sobre o humano entram em crise e nota-se um inegável interesse em problematizar os conceitos sobre humanidade e animalidade, por meio da ficção. A análise desses contos, considerados pertencentes ao modo fantástico da literatura, indaga sobre como o sentimento perturbador que caracteriza esse estilo pode surgir a partir da transgressão das fronteiras que separam estes dois universos, que -sob uma perspectiva logocêntrica moderna - parecem tão distanciados: cultura e natureza.

Palavras-chave


Felisberto Hernández; Animalidade; Fantástico.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br