O animal como figura representativa do descompasso amoroso e da solidão humana

Eunice Prudenciano de Souza, Pauliane Amaral

Resumo


Este trabalho tem como objetivo mostrar, à luz dos estudos zooliterários, como a relação entre o homem e o animal no poema “Porquinho-da-índia”, de Manuel Bandeira e no conto “Zoiuda”, de Luiz Vilela, é motivada pela necessidade de afeto revelada pela incomunicabilidade e solidão que marcam a enunciação do sujeito lírico do poema e a psicologia da personagem do conto. Nossa hipótese é de que essa configuração confere ao animal aspectos antropomórficos, mais precisamente o de uma mulher, revelando o descompasso amoroso que marca a trajetória dos sujeitos dessas ficções.

Palavras-chave


Estudos animais; Literatura brasileira; Zooliteratura.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br