Addie, Darl e a existência autêntica em Enquanto Agonizo, de William Faulkner DE WILLIAM FAULKNER

Leila de Almeida Barros

Resumo


Enquanto Agonizo (1930), quinto romance de William Faulkner, oferece significativas reflexões acerca da morte, da linguagem, do tempo e da existência. A angústia que habita em maior ou menor grau a família Bundren transcende a experiência da morte física. Isto porque mesmo passada a dor da perda de Addie, a matriarca da família, em alguns de seus integrantes permanece a sensação de estranhamento e desligamento do mundo exterior, sobretudo em Darl, segundo filho de Addie e protagonista da narrativa. Por meio das principais reflexões expostas por Martin Heidegger em Ser e Tempo (1927), este trabalho busca tornar visível como a angústia de Darl e a morte de Addie auxiliam na compreensão do sentido do ser, além de conduzirem pelo caminho da sua possibilidade mais autêntica.


Palavras-chave


Angústia; Morte; Existência.

Texto completo:

PDF

Referências


AMJAD, Fazel Asadi; KAZEMIFAR, Reza. An Ontological Vindication of Darl’s Existential Authenticity from a Heideggerian Point of View. International Journal of Applied Linguistics & English Literature. v. 3, n. 1, 2014, p. 63-71.

DEVILLE, Michel. Alienating Language and Darl's Narrative Consciousness in Faulkner's As I Lay Dying. Southern Literary Journal. v. 2, n. 1, 1994, p. 61-72.

DREYFUS, Hubert; WRATHALL, Mark. “Martin Heidegger: An Introduction to His Though, Work, and Life”. In: DREYFUS, Hubert; WRATHALL, Mark. A Companion to Heidegger. Oxford: Blackwell Publishing, 2005, p. 1-16.

FAULKNER, William. Enquanto Agonizo. Trad. Wladir Dupont. São Paulo: Mandarim, 2002.

______. As I Lay Dying: Authoritative text, backgrounds and contexts, criticism. New York/London: W.W. Norton and Company, 2010.

HEIDEGGER, Martin. Ser e Tempo. Trad. Márcia Sá Cavalcante Schuback. São Paulo/Rio de Janeiro: Universidade São Franciso/Editora Vozes, 2005.

______. Que é metafisica? Trad. Ernildo Stein. São Paulo: Abril Cultural, 1989.

LAFONT, Cristina. “Hermeneutics” In: DREYFUS, Hubert; WRATHALL, Mark. A Companion to Heidegger. Oxford: Blackwell Publishing, 2005, p. 265-284.

NUNES, Benedito. Poesia e Filosofia: uma transa. A Palo Seco: Escritos de Filosofia e Literatura, v. 1, n. 3, 2011, p. 8-17.

PASQUA, Hervé. Introdução à leitura do Ser e Tempo de Martin Heidegger. Lisboa: Instituto Piaget, 1993.

PAVIANI, Jayme. Traços Filosóficos e Literários nos textos. In: ROHDEN, Luiz; PIRES, Cecília. (Org.). Filosofia e Literatura. Ijuí: Unijuí, 2009, p. 62-75.

PETTEY, Homer B. Perception and the Destruction of Being in As I Lay Dying. The Faulkner Journal, v. 19, n.1, 2003, p. 27-46.

SHEEHAN, Thomas. “Dasein”. In: DREYFUS, Hubert; WRATHALL, Mark. A Companion to Heidegger. Oxford: Blackwell Publishing, 2005, p. 193-213.

TEBBETS, Terrell L. “Postmodern Criticism”. In: HAMBLIN, Robert W; PEEK, Charles A. A companion to Faulkner studies. London: Greenwood Press, 2004, p. 125-161.

VICKERY, Olga W. “The Dimensions of Consciousness”. In: As I Lay Dying: Authoritative text, backgrounds and contexts, criticism. New York/London: W.W. Norton and Company, 2010, p. 236-248.

WERLE, Marco Aurélio. A angústia, a morte e o nada em Heidegger. Trans/Form/Ação, São Paulo, v. 26, n. 1, 2003, p. 97-113.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br