Mc Linn da quebrada e a criança viada: uma leitura das artes do presente a partir da filosofia Deleuze-Guattari

José Veranildo Lopes da Costa Junior, Roniê Rodrigues da Silva

Resumo


Neste artigo, propomos apresentar uma leitura crítica, relacionando literatura, artes e filosofia, de duas manifestações artísticas do presente: a canção Mulher (2017), de Mc Linn da Quebrada e uma pintura que compõe o projeto Criança Viada (2017), de Bia Leite, exposta pelo Banco Santander, em Porto Alegre, na mostra QueerMuseu: cartografias da diferença na arte brasileira. Em nossas análises, buscamos relacionar as representações do “corpo trava” e do corpo “criança viada” que aparecem nos textos selecionados às noções de Rizoma e Corpo sem Órgãos de Gilles Deleuze e Félix Guattari, filósofos contemporâneos.

Palavras-chave


Arte contemporânea; Filosofia contemporânea; Rizoma; Corpo sem Órgãos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br