A arte de morrer:a poética do suicídio em Sylvia Plath

Lara Luiza Oliveira Amaral

Resumo


Em 11 de fevereiro de 1962, Sylvia deixa sobre a mesa um manuscrito do seu novo livro de poemas, Ariel (1965), coloca a cabeça dentro do fogão e liga o gás. Quase como se estivesse sofrendo de um “impulso de morte”, a última parte de sua obra parece retratar sua relação com o suicídio. Neste trabalho, pretendemos fazer uma análise do poema “Lady Lazarus”, partindo de alguns traços biográficos, assim como de elementos líricos da poética. Para tanto, utilizaremos como referência teórica Alvarez (1999), Carvalho (2003) e, para os estudos da poesia lírica, adotaremos, principalmente, Friedrich (1978), Paz (2012) e Rosenfeld (2014). 


Palavras-chave


Suicídio; Sylvia Plath; Lady Lazarus.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br