Fernando Pessoa, literatura e cinema: a percepção, o sensível e o (des)conhecer

Rodrigo Souza Grota

Resumo


Esse artigo propõe a seguinte questão: haveria uma estética cinematográfica na poética do escritor português Fernando Pessoa? Na estrutura dos seus poemas, dos seus textos em prosa, além de tematizar o cinema, estaria o escritor a antecipar uma percepção fílmica da realidade? A fim de alimentar essas especulações, escolhemos fragmentos variados da obra de Pessoa buscando nesse recorte aproximações à estética do cinema não só enquanto poética do mundo visível, mas também como uma metafísica da vida interior.

 


Palavras-chave


Teoria da poesia; Fernando Pessoa; Teoria do cinema; Alberto Caeiro.

Texto completo:

PDF

Referências


ARISTÓTELES. Metafísica. Estudio introductivo, análisis de los libros y revisión del texto: Francisco Larroyo. Cidade do México: Editorial Porrúa S.A., 1971.

BARROS, Manoel de. Encontros – Manoel de Barros. Org. Adalberto Müller. Rio de Janeiro: Azougue, 2010.

BAZIN, André. O que é o Cinema? São Paulo: Cosac & Naify, 2014.

________. Orson Welles. Tradução: André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

________. O realismo impossível. Seleção, tradução, introdução e notas: Mário Alves Coutinho. 1ª edição. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016.

BORDWELL, David. Ozu and the poetics of cinema. Princeton: Princeton University Press, 1988.

BRESSON, Robert. Notas sobre o cinematógrafo. Tradução: Evaldo Mocarzel. São Paulo: Iluminuras, 2005.

COCCIA, Emanuele. Física do sensível – pensar a imagem na Idade Média. In: Pensar a imagem. págs. 77-92. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2015.

COMOLLI, Jean-Louis. Ver e poder: a inocência perdida – cinema, televisão, ficção, documentário. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

CRARY, Jonathan. Suspensões da percepção: atenção, espetáculo e cultura moderna. Tradução: Tina Montenegro. São Paulo: Cosac & Naify, 2013.

CUMMINGS, e. e. 100 selected poems. New York: Grove Press, 1997.

FERRARI, Patrício & FISCHER, Cláudia J. Introdução. In: Argumentos para Filmes. Lisboa: Ática, 2011.

GUERREIRO, Fernando. Posfácio. In: Argumentos para Filmes. Lisboa: Ática, 2011.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. Tradução: Carlos Alberto Ribeiro de Moura. 2ª edição. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

NAGIB, Lúcia (org.). Ozu, o Extraordinário Cineasta do Cotidiano. São Paulo: Marco Zero Editora, 1990.

NANCY, Jean-Luc. À escuta. Tradução: Fernanda Bernardo. Belo Horizonte: Edições Chão da Feira, 2014.

PESSOA, Fernando. Argumentos para Filmes. Edição, introdução e tradução: Patrício Ferrari e Claudia J. Fischer.

Posfácio: Fernando Guerreiro. Lisboa: Ática, 2011.

________. Livro do desassossego. Organização: Richard Zenith. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

________. Obras em Prosa. Organização, introdução e notas: Cleonice Berardinelli. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1998.

________. Poesia / Álvaro de Campos. Edição: Teresa Rita Lopes. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

________. Poesia completa de Alberto Caeiro. Edição: Fernando Cabral Martins, Richard Zenith. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

RUSSEL, Bertrand. História do pensamento ocidental: a aventura dos pré-socráticos a Wittgenstein. Tradução: Laura Alves, Aurélio Rebello. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.

SILVESTRE, Osvaldo Manuel. “As únicas coisas nobres que a vida contém”. Em Matlit 1.1 (2013): 89-112. Coimbra, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br