A imagem e a fúria: a violência em alta definição na obra Bajo este sol tremendo, de Carlos Busqued

Ellen Maria Martins de Vasconcelos

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar as apropriações das ferramentas e dos conteúdos dos documentários televisivos elaboradas na obra literária Bajo este sol tremendo, do argentino Carlos Busqued (2009). Nesta obra, arquivos de imagens se armam e se desmontam, em um jogo metonímico entre o visível e o não visível, o explorado e o camuflado, implicando, no trabalho do narrador, um posicionamento, um comprometimento ético e estético, crítico e criativo, ao compartilhar uma história cheia de detalhes (embora cheia de lacunas) com o leitor/espectador.

 


Palavras-chave


Televisão; Violência; Arquivos; Literatura argentina.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, Hannah. Sobre a violência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

BERGER, John. Modos de ver. 1980. Disponível em: https://paralelotrac.files.wordpress.com/2011/05/modos-de-ver-john-berger.pdf. Acesso em: 04 set. 2016.

BUSQUED, Carlos. Bajo este sol tremendo. Barcelona: Anagrama, 2009.

CASTELLET, José M. De la objetividad al objeto. Papeles de San Armadans. vol.2, n.15. 1957. p. 309-332. Disponível em: http://filcat.uab.cat/gelcc/ modern/texto /mod083.pdf. Acesso em: 4 set. 2016.

CHERRI, Carlos L. “Cine y literatura en América Latina. Las intervenciones de Mario Bellatin”. In: Boletim de Pesquisas Nelic. vol.15, n.24. Florianópolis: 2015. p.05-22. Disponível em: https://www.academia.edu/2406484 /Cine_y_literatura_en_Am% C3%A9rica_Latina_las_intervenciones_de_Mario_Bellatin. Acesso em: 07 set. 2016.

CUNHA, Edson. “O real como trauma em narrativas de Marcelino Freire”. In: Anais do SILEL. vol.3, n.1. Uberlândia: UDUFU, 2013. Disponível em: http://www.ileel.ufu.b /anaisdosilel/wp-content/uploads/2014/0 /silel2013_2152.pdf. Acesso em: 23 out. 2016.

DE LOS RÍOS, Valeria. “Look(ing) at the animals: the presence of the animal in contemporary Southern Cone cinema and in Carlos Busqued’s Bajo este sol tremendo. In: Journal of Latin American Cultural Studies: Travesia. 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1080/13569325.2014.1000285. Acesso em: 11 set. 2016.

DE LOS RÍOS, Valeria; DONOSO, Catalina. “Figuraciones del archivo en El otro día y ¿Qué historia es esta y cuál es su final?”. In: Revista Alter/nativa. The Ohio State University: 2016. Disponível em: http://alternativas.osu.edu/es/issue /spring-6-2016/essays3/rios-donoso.html. Acesso em: 2 out. 2016.

DERRIDA, Jacques. Força de lei: o fundamento místico da autoridade. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

________. O animal que logo sou. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

FOSTER, Hal. O retorno do real. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

GATZEMEIER, Claudia. “Hacia una nueva estética de la marginalidad: entre la nueva novela negra y el realismo sucio: Retrato de familia con muerta de Raul Argemi y Bajo este sol tremendo de Carlos Busqued”. Diseño de nuevas geografías en la novela y el cine negros de Argentina y Chile. (ant.) Frankfurt/Madrid: Iberoamericana Editorial Vervuert/ Ediciones de Iberoamericana, 2013, p.193-207.

GIORGI, Gabriel. Formas comunes. Animalidad, cultura y biopolítica. Buenos Aires: Eterna Cadencia, 2014.

GUIMARÃES, César G.; LEAL, Bruno S. “Experiência estética e experiência mediada”. In: Revista Intexto. vol.2, n.19. Porto Alegre: UFRGS, 2008. p. 1-14. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/intexto/article/viewArticl /7998. Acesso em: 3 out. 2016.

JOST, François. El culto de lo banal. Buenos Aires: Libraría Ediciones, 2012.

LEAL, Bruno S. “As imagens como arquivo do real”. In: Comunicação, mídia e consumo. ano9, v.9, n.25. 2012. p.215-230. Disponível em: http://revistacmc.espm.b /index.php/revistacmc/article/view/318/pdf. Acesso em: 3 out. 2016.

MACIEL, Maria E. Literatura e animalidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

MANGUEL, Alberto. Leer imágenes. Madrid: Alianza Editorial, 2002.

MARTINS, Maura O. “Por uma ontologia das câmeras onipresentes e oniscientes: reconfigurações ao telejornalismo perante a ubiquidade de dispositivos que registram o real”. In: Intercom. XXXVIII Congresso de Ciências da Comunicação. Rio de Janeiro, 2015. Disponível em: http://portalintercom.org.br/anais/nacional2015/resumo /R10-2194-1.pdf. Acesso em: 11 set. 2016.

________. “Reconfigurações no telejornalismo a partir da popularização das câmeras amadoras: sobre a narrativa em primeira pessoa”. In: Intercom. XXXVII Congresso de Ciências da Comunicação. Foz do Iguaçu, 2014. Disponível em: http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2014/resumo /R9-0763-1.pdf. Acesso em: 07 set. 2016.

MELLO, Jamer G. O arquivo como sintoma: Anacronismo das imagens na obra de Harun Farocki. In: Revista Passagens. vol.5, n.1. 2014. Disponível em: http://www.revistapassagens.ufc.br/index.php/revista/articl /viewFile/58/63. Acesso em: 04 set. 2016 .

MONDZAIN, Marie-José. Homo spectator. Lisboa: Orfeu Negro, 2015.

RAPP, Tobias. Usando música como arma em Guantánamo. In: Der Spiegel. Bol Notícias. 2010. Disponível em: http://noticias.bol.uol.com.br/internacional/2010/01/ 19/usando-musica-como-arma-em-guantanamo.jhtm. Acesso em: 16 out. 2016.

SANCHÍS, Carmen B. “Transformaciones en los medios plásticos y representación de las violencias en los últimos años del siglo XX”. In: BOZAL, Valeriano. Imágenes de la violencia en el arte contemporáneo. Madrid: Machado Libros s/a, 2005.

SCHOLLHAMMER, Karl Erik. Realismo afetivo: evocar realismo além da representação. In: Estudos de literatura brasileira contemporânea. n.39. jan-jun/2012. p.129-148. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/elbc/n39/08.pdf. Acesso em: 20 jul. 2014.

SPERANZA, Graciela. Atlas portátil de América Latina. Barcelona: Anagrama, 2012.

SIMÕES, Giuliana M. O instante em que o espectador desliza entre o objeto e si mesmo. In: Concepto. vol.4, n.1. Campinas: 2015. p.85-94.

SONTAG, Susan. Diante da dor dos outros. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

YELIN, Julieta. La letra salvaje. Ensayos sobre literatura y animalidad. Rosario: Beatriz Viterbo, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br