Balzac e Les femmes supériures: a representação da escritora em Beatriz

Melissa Raquel Zanetti Franchi

Resumo


Recorrente em diversas obras da Comédia humana, a figura do literato enquanto guia e juiz da sociedade (Bénichou 1973) é muito cara a Balzac, autor fascinado pelo tema romântico do gênio. Objetivamos analisar a representação da escritora no romance Beatriz (1839), problematizando o grau de credibilidade que lhe é atribuído e a maneira como a situação da mulher na sociedade burguesa e patriarcal é significada na obra. Investigaremos os sentidos políticos da narrativa (Langle 2000), bem como seu cunho paródico, já que ironiza a oscilação de valores da sociedade francesa no início do século XIX, período de acentuada instabilidade sociopolítica.

 


Palavras-chave


Gênio; Representação da escritora; Beatriz; Balzac.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. Reading Balzac. In: Notes to Literature II. New York: Columbia University Press, 1992.

AGAMBEN, G. Estâncias: a palavra e o fantasma na cultura ocidental. Trad. Selvino Assmann. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

ALLEN, J. S. Popular French Romanticism. Nova York: Syracuse University Press, 1981.

ARIGONI, M. I. C. Illusions perdues, de Honoré de Balzac: jornalismo e sociedade em contexto. Dissertação de mestrado. UFRGS: Porto Alegre, 2014.

BALZAC, H. A musa do departamento. In: A Comédia Humana. vol. VI. Introduções, notas e orientação de Paulo Rónai. Rio de Janeiro: Editora Globo, 1951.

__________. Avant-Propos. In: A comédia humana. Série Biblioteca dos Séculos. V. 1. São Paulo: Ed. Globo, 1947 (1ª ed). Pp. 11-12.

__________. Beatriz. In: BALZAC, H. A comédia humana. vol. 1. São Paulo: Globo, 1994.

__________. Ilusões Perdidas. Trad. Leila de Aguiar Costa. São Paulo: Estação Liberdade, 2007.

__________. Modesta Mignon. In: A comédia humana. vol 1. Trad. Vidal de Oliveira. São Paulo: Ed. Globo, 1994.

BÉNICHOU, P. Le sacre de l’écrivain – 1750-1830: Essai sur l’avènement d’un pouvoir spirituel laïque dans la France Moderne. 3ª ed. Paris: Librairie José Corti, 1973.

BORGLID, H. Femmes balzaciennes: une étude de deux personnages féminins du roman Béatrix, par Honoré de Balzac. Mémoire. Université de Lund: 2012.

BOURDIEU, P. As regras da arte. São Paulo: Schwarcz, 1996.

BRISSETTE, P. Poète malheureux, poète maudit, malédiction littéraire. In: COnTEXTES [Online], Varia, Online since 12 May 2008. Disponível em: . Acesso em: 08 jan. 2016.

BROMBERT, V. Balzac and the caricature of the intellect. In: The French Review, v. 34, n. 1, out. 1960.

DUMONT, L. M. M.; SANTO, P. E. Leitura feminina: motivação, contexto e conhecimento. In: Ciências e cognição. Vol 10. Mar 2007. Pp. 28-37. Disponível em: . Acesso em: 25 nov 2016.

FESTA-McCORMICK, D. The myth of the poétes maudits. In: MITCHELL, R. L. (org). Pre-text, Text, Context: Essays on nineteenth-century French literature. Colombus: Ohio State University Press, 1980, pp. 199-215.

LANGLE, C. Béatrix: conversion et réaction. In: Recherches et Travaux, 2000, pp. 97-104. Disponível em: . Acesso em: 20 nov 2016.

LUKÁCS, G. Balzac: les illusions perdues. In: Ensaios sobre literatura. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira S. A., 1965.

RÓNAI, P. Introdução a Beatriz. In: BALZAC, H. A comédia humana. 3 ed. vol. 3. São Paulo: Globo, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br