O Bildungsroman feminino nos contos cabo-verdianos

Pedro Manoel Monteiro, Raquel Aparecida Dal Cortivo

Resumo


A trajetória da mulher na sociedade cabo-verdiana tem impactos significativos na produção literária do país, sobretudo após a independência, percebe-se o aumento significativo de obras escritas por mulheres. Com isso, pretende-se observar como tal trajetória é transfigurada literariamente, principalmente no que se refere à formação de uma personalidade social cada vez mais participativa, nos termos propostos pela teoria do Bildungsroman, atualizada em sua operacionalização para a leitura do texto literário, aplicada ao gênero conto, em específico ao conto de autoria feminina, das autoras Orlanda Amarílis, Ivone Aida, Fátima Bettencourt e Dina Salústio.

 


Palavras-chave


Cabo Verde; Conto de autoria feminina; Bildungsroman.

Texto completo:

PDF

Referências


AMARÍLIS, Orlanda. Cais-do-Sodré té Salamansa. Linda-a-Velha: ALAC, 1991.

BADINTER, Elisabeth. Um é outro. 3. ed. Tradução Carlota Gomes. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

________. XY: sobre a identidade masculina. Tradução Maria Ignez Duque Estrada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1993.

BETTENCOURT, Fátima. Semear em pó: contos. Praia: Instituto Caboverdiano do Livro e do Disco, 1994.

CONNEL, Robert W. “Políticas da masculinidade”. In: Educação e realidade, 20 (2), jul. 1995, p. 185-206.

________. “La organización social de la masculinidade”. In: VALDÉS, Teresa; OLAVAVARRÍA, José (editores). Masculinidad/es: poder y crisis, Isis internacional, Chile, 1997, p. 31-48.

FERREIRA, Manuel. A aventura crioula ou Cabo Verde, uma síntese étnica e cultural. Lisboa: Ulisseia, 1967.

_________. Claridade. 2. ed. Fac-similar. Lisboa, ALAC, 1986.

_________. Literaturas africanas de expressão portuguesa. São Paulo: Ática, 1987.

_________. O discurso no percurso africano I. Lisboa: Plátano, 1989.

_________. No reino de Caliban. 3. ed. V. I, Lisboa: Plátano, 1988.

FERREIRA PINTO, Cristina. O Bildungsroman feminino. São Paulo: Perspectiva, 1990.

GOMES, Simone Caputo. Cabo Verde: literatura em chão de cultura. Cotia, SP: Ateliê Editorial; Praia: Instituto da Biblioteca Nacional e do Livro, 2008.

MONTEIRO, P. M. Caminhos da ficção cabo-verdiana produzida por mulheres: Orlanda Amarílis, Ivone Aida e Fátima Bettencourt. Tese (Doutorado) FFLCH/USP. Orientadora Professora Doutora Simone Caputo Gomes. São Paulo, 2013.

_________. Revisão do percurso histórico da participação da literatura feminina nos PALOP's: de 1940 a 2009. Miscelânea (Assis. Online), v. 19, p. 319-335, 2016.

_________. O percurso histórico da literatura feminina nos PALOP de 1935 a 2013. Anais do VII Seminário Internacional e XVI Seminário Nacional Mulher e Literatura. Caxias do Sul: Educs, 2015. v. 1. p. 783-794.

NOVAES COELHO, Nelly. A literatura feminina no Brasil contemporâneo. São Paulo: Siciliano, 1993.

RAMOS, Ivone Aida Fernandes. Vidas vividas. Mindelo: OMCV, 1990.

SPIVAK, Gayatri Chakravorty. Pode o subalterno falar? Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.

WELZER-LANG, Daniel. A construção do masculino: dominação das mulheres e homofobia. In: Revista de Estudos Feministas, v. 9, n.2, 2001, pp. 460-482, Florianópolis: CFH/CCE/UFSC.

________. Os homens e o masculino numa perspectiva de relações sociais de sexo. In: SCHPUN, Mônica Raisa (org.). Masculinidades. São Paulo: Boitempo, Santa Cruz do

Sul: EDUNISC, 2004. p. 113-128.

SALÚSTIO, Dina. Mornas eram as noites. Praia: Instituto Caboverdiano do Livro. 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br