A obsessão pela virilidade em Mãos de cavalo: poder e ruína

Anna Carolina Botelho Takeda

Resumo


Neste artigo pretende-se apontar como o fim trágico que se configura no romance Mãos de cavalo, de Daniel Galera, pode ser associado à necessidade de conservação de um modelo de virilidade imposto socialmente aos homens. Observa-se que o modelo de virilidade ao qual almeja o protagonista Hermano é sustentado pelos discursos construídos pela indústria cultural, pois sua obsessão por certa identidade heroica nasce do contato com os produtos culturais consumidos por ele na juventude. A virilidade e coragem exigidas dos homens, no entanto, vão levar o seu amigo à morte.


Palavras-chave


Tragédia; Virilidade; Indústria cultural; Mãos de cavalo.

Texto completo:

PDF

Referências


BOUDIEU, Pierre. A distinção crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp, 2007.

________. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

________. La domination masculine. Saint-Amand-Montrond, Édition du Seuil, 1998.

GALERA, Daniel. Mãos de cavalo. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

MIRA, Maria Celeste. O masculino e o feminino nas narrativas da cultura de massas ou o deslocamento do olhar. Cadernos Pagu [online], n. 21, p. 13-38, 2003.

WELZER-LANG, Daniel. A construção do masculino: dominação das mulheres e homofobia. Revista Estudos Feministas. Florianópolis, v. 9, n. 2, p. 460-482, 2001.

WILLIAMS, Raymond. Tragédia moderna. São Paulo: Cosac Naify, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br