A impressão do cotidiano: Um estudo das ambiguidades da crônica e a transgressão de seu caráter efêmero

Giovana Chiquim Chiquim

Resumo


Formada por dois discursos antagônicos, a literatura e o jornalismo, a crônica é um gênero de difícil classificação. A proposta deste estudo é compreender suas características particulares a partir de trechos extraídos de crônicas e de textos de teóricos da literatura. Além disso, este artigo contempla uma discussão sobre a condição efêmera do gênero, a transferência para o livro e sua aceitação como objeto literário por parte da crítica literária. O surgimento dos Estudos Culturais abre as portas do cânone para os gêneros considerados menores, graças à sua ligação embrionária com o jornal, e mostra que o conceito de “literatura” ganha novos significados ao longo da história.


Palavras-chave


Crônica; Literatura; Jornalismo.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, Carlos Drummond de. O poder ultra-jovem. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1974.

________. Tempo e Vida Poesia. 3ª edição. Rio de Janeiro: Record, 2008.

________. Boca de Luar. 11ª edição. Rio Janeiro: Record, 2009.

ARRIGUCCI JR, Davi. Enigma e Comentário. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

ASSIS, Machado de. Obra Completa – Vol III. Rio de Janeiro: Aguillar, 1973.

BAHIA, Juarez. Jornal, história e técnica. 3ª ed. São Paulo: Editora Ática, 1990.

BENDER, Flora Christina; LAURITO, Ilka Brunhilde. Crônica – História, teoria e prática. São Paulo: Editora Scipione, 1993.

BRAGA, Rubem. Crônicas Escolhidas. Rio de Janeiro: Record, 2005.

CAMPOS, Paulo Mendes. In: BRITO, José Domingos de (org). Literatura e Jornalismo. São Paulo: Novera Editora, 2008.

CANDIDO, Antonio et al. A crônica: o gênero, sua fixação e transformações no Brasil. Campinas: Ed. Unicamp, 1992.

CEVASCO, Maria Elisa. Literatura e estudos culturais. In: BONNICI, Thomas; ZOLIN, Lucia Osana (Org). Teoria Literária: Abordagens históricas e tendências contemporâneas. Maringá: Eduem, 2009.

COELHO, Marcelo. Notícias sobre a crônica. In: CASTRO, Gustavo de; GALENO, Alex. Jornalismo e Literatura: A sedução da palavra. São Paulo: Escrituras Editora, 2002.

COUTINHO, Afrânio; COUTINHO, Eduardo F. (Org). A literatura no Brasil. 3ª ed. rev. e aum. Rio de Janeiro: José Olympio; Niterói: Ed. da UFF, 1986.

GUARACIABA, Andréa. A crônica. In: MELO, José Marques de. Gêneros Jornalísticos na Folha de São Paulo. São Paulo: FTD, 1992.

LAGE, Nilson. Estrutura da Notícia. 3ª ed. São Paulo: Editora Ática, 1993.

MARCONDES FILHO, Ciro. O Capital da Notícia. São Paulo: Editora Ática, 1986.

MOISÉS, Massaud. A criação literária. 10ª ed. São Paulo: Cultrix, 1982.

PORTELLA, Eduardo. Dimensões I. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1958.

SÁ, Jorge de. A crônica. 6ª edição. São Paulo: Ática, 2005.

SIMON, Luiz Carlos. Duas ou três páginas despretensiosas: a crônica, Rubem Braga e outros cronistas. Londrina: Editora da Universidade Estadual de Londrina, 2011.

TEZZA, Cristóvão. O tudo e o nada – 101 crônicas de Carlos Heitor Cony. In: Folha de São Paulo, 1 de maio de 2004, Caderno Folha Ilustrada, p. E3.

TODOROV, Tzvetan. Os gêneros do discurso. Trad. Elisa A. Kossovich. São Paulo: Martins Fontes, 1982.

ZAPONNE, Miriam Hisae; WIELEWICKI, Vera Helena Gomes. Afinal, o que é literatura? In: BONNICI, Thomas & ZOLIN, Lucia Osana (Org). Teoria Literária: Abordagens históricas e tendências contemporâneas. Maringá: Eduem, 2009.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br