RELIGIOSIDADE NA LITERATURA AFRICANA: A ESTÉTICA DO REALISMO ANIMISTA / RELIGIOSITY IN AFRICAN LITERTAURE: THE AESTHETIC OF ANIMIST REALISM

Silvio Ruiz Paradiso

Resumo


A descolonização não impediu os resquícios da hegemonia europeia sobre a cultura africana. No campo literário, conceitos deslocados e que não dão conta da realidade africana como <i>Maravilhoso</i>, <i>Mágico</i> e <i>Fantástico</i>, tornam-se signos travestidos, em que a colonialidade se faz presente. A partir do pensamento dos angolanos Pepetela e Henrique Abranches, além do trabalho do sul-africano Henry Garuba, este artigo propõe discutir o conceito de “Realismo Animista” como um valor estético literário, a partir da religiosidade africana - fetichista e anímica.

Decolonization didn’t prevent the remnants of European hegemony over the African culture. In the literary space, displaced concepts that can’t keep up with the African reality like <i>Marvelous reality (Real maravilloso), Magical realism</i> and <i>Fantastic Realism</i> become disguised signs in which colonialism is present. From the Angolans Pepetela and Henrique Abranches and from the recent work of the South African Henry Garuba, this paper aims to discuss the "Animist Realism" concept as a literary aesthetic value, from the African religiosity – fetishistic and animistic.


Palavras-chave


realismo animista; literatura africana; religiosidade; animismo; pós-colonialismo. / animist realism; African literature; religiosity; animism; post-colonialism.

Texto completo:

PDF

Referências


ABIOLA, I. Tradition and the yoruba writer: D. O. Faguwna, Amos Tutuola and Wole Soyinka. In: JEYIFO, Biodun. Perspectives on Wole Soyinka: Freedom and Complexity. Mississippi: Mississippi University Press, 2001.

ABRANCHES, H. Da mitologia tradicional ao universalismo literário. Luanda: União dos Escritores Angolanos. Entrevista. Disponível em: http://www.ueaangola.org/mostra_entrevistas.cfm?ID=440, acesso em 12 jan 2011.

ACHEBE, C. E-mail. Enviado ao autor do artigo em 20 de abril de 2012.

________. The Sacrificial Egg. In: BONNICI, T. Short stories: an anthology for undergraduates. 2 ed. Maringá: UEM, 2004.

AFONSO, M. F. A problemática pós-colonial em Mia Couto: Mestiçagem,

sincretismo, hibridez, ou a reinvenção das formas narrativas. In: NÓBREGA, J. M. da; MOTA, N. P. de (eds). Estudos de Literaturas Africanas - Cinco povos, cinco nações. Atas do Congresso Internacional de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa. Coimbra: Novo Imbondeiro, 2007.

ARENAS, F. Lusophone Africa: Beyond Independence. University of Minessota Press, 2011.

COOPER, B. Magical Realism in the West African Novel: Seeing with a Third Eye. London: Routledge, 1998.

COUTO, M. Encontros e encantos – Guimarães Rosa. Intervenção na UFMG, julho, 2007b.

________. Entrevista ao El País. In: El País (30.10.2013). Mia Couto: “En África no es que se viva un realismo mágico, es realismo real”. Disponível em: http://elpais.com/elpais/2013/09/27/eps/1380282368_900161.html, acesso em 22 Nov. 2013.

________. Mia Couto e o exercício da humildade. Entrevista concedida a Marilene Felinto em 2002. Disponível em:http://p.php.uol.com.br/tropico/html/textos/1393,1.shl.

________. Pensatempos – textos de opinião. 2 ed. Lisboa: Caminho, 2005.

EKECHI, F. K. Colonialism and Christianity in West Africa: The Igbo Case, 1900-1915. In: The Journal of African History, Vol. 12, No. 1. Cambridge University Press, 1971, pp. 103-115.

ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano: a essência das religiões. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

FANON, F. The Wretched of the Earth. London: Penguin books, 1961.

FREITAS, C. F. P. M. de. O processo de descolonização literária em África - os casos de Chinua Achebe, Ahmadou Kourouma e Mia Couto [tese]. Faculdade de Letras da Universidade do Porto: Porto, 2005.

FREUD, S. Totem e Tabu. In: Obras Completas de Sigmund Freud. Trad. Elias Davidovich. Vol. 7. Rio de Janeiro, Editora Delta S.A., 1913 [1958], pp. 361-485.

GARCÍA, F. Tensões entre ‘sólito’ e ‘insólito’ na narrativa de Mia Couto: A Varanda do frangipani como paradigma da questão. In: SECCO, C. L. T. R. et al. (org.). Anais do III Encontro de Professores de Literaturas Africanas – Pensando África. Rio de Janeiro/Niterói: UFRJ/UFF/FBN, 2008. Edição em CD Rom.

GARUBA, H. Explorations in Animist Materialism: Notes on Reading/Writing African Literature, Culture and Society. In: Public Culture 15, n. 2, 2003, pp. 261-285.

GREENBLATT, S. Possessões maravilhosas. O deslumbramento do Novo Mundo. São Paulo: EDUSP, 1996.

KOUROUMA, A. Les soleils des Indépandances. Paris : Point, 1970

LE GOFF, J. O Maravilhoso e o Quotidiano no Ocidente Medieval. Trad. António José Pinto Ribeiro. Lisboa: Ed. Setenta, 1990.

LEITE, F. Valores civilizatórios em sociedades negro-africanas. In: África: Revista do Centro de Estudos Africanos. São Paulo, v. 18-19, n. 1, pp. 103-118, 1995/1996.

MARÇAL, M. R. A tensão entre o fantástico e o maravilhoso. In: Revista FronteiraZ, v.3, n. 3, PUC-SP, 2009.

NOA, F. Império, Mito e Miopia - Moçambique como invenção literária. Lisboa: Editorial Caminho, 2002.

PADILHA, L. C. Entre a voz e a letra: O lugar da ancestralidade na ficção angolana do século XX. Niterói: EdUFF, 2007.

PARADISO, S. R.; BARZOTTO, L. A. Religião e Resistência no discurso pós-colonial. In: 60ª Reunião Anual da SBPC, 2008, Campinas. Anais/Resumos da 60a Reunião Anual da SBPC: publicação eletrônica. CAMPINAS: Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, 2008.

PARADISO, S. R.; ADOLFO, S. P. Religião e religiosidades nas Literaturas Póscoloniais Africanas: Mia Couto e Chinua Achebe. In: Anais do VI EPPELL - Encontro Paranaense de Estudantes de Pós-Graduação de Estudos Literários, 2012, Guarapuava, 2012, v. 1.

PARADISO, S. R. Religião e Religiosidade nas Literaturas pós-coloniais africanas: Um olhar em Things Fall Apart, de Achebe e O outro pé da sereia, de Mia Couto. Tese de Doutorado. Universidade Estadual de Londrina: Paraná. Programa de PósGraduação em Letras, 2014. 307p.

PEPETELA. Lueji, o nascimento de um império. Porto, Portugal: União dos Escritores Angolanos, 1989.

PETROV, P. O universo romanesco de Mia Couto. In: NÓBREGA, J. M. da; MOTA, N. P. de (eds). Estudos de Literaturas Africanas - Cinco povos, cinco nações. Atas do Congresso Internacional de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa. Coimbra: Novo Imbondeiro, 2007, pp. 672-681.

RODRIGUES, Nina. O Animismo Fetichista dos Negros Bahianos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1935.

SAID, E. W. Orientalism. London: Routledge & Kegan Paul, 1978.

SARAIVA, S. da S. O realismo animista e o espaço não-nostálgico em narrativas africanas de Língua Portuguesa. In: Anais do Encontro Regional da ABRALIC 2007. Literaturas, Artes, Saberes, 23 a 25 de julho de 2007. São Paulo: USP, 2007. Disponível em: http://www.abralic.org.br/enc2007/anais/80/107.pdf, acesso em 12 jan.

SECCO, C. L. T. R. Prólogo. In: CARDOSO, B. Mãe, materno Mar. Porto: Campo das Letras, 2001.

SILVA, L. M. da. Novas insólitas veredas: leitura de A varanda do Frangipani, de Mia Couto, pelas sendas do fantástico. Rio de Janeiro: Dialogarts, 2013.

TAROUCO, E. da S. O Realismo Animista e a Literatura Africana. In: VI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação do UniRitter. Comunicações de pós-graduação - 4ª edição. Centro Universitário Ritter dos Reis/UniRitter, RS, 2010. Disponível em: http://www.uniritter.edu.br/eventos/sepesq/vi_sepesq/arquivosPDF/27154/1938/com_identificacao/Artigo%20Sepesq%20Animismo.pdf, acesso em 04 set. 2010.

THIONG'O, N. W. Decolonizing the Mind: the politics of language in African literature. London: James Currey, 1986.

TRIGO, S. Luandino Vieira: o logoteta. V. 4 de Literaturas Africanas Colecção Literaturas Africanas. Brasília Editora, 1981.

TRINDADE JÚNIOR, J. O. No Coração da Tempestade: Irrupções insólitas em Vinte e zinco, de Mia Couto. Rio de Janeiro: Publicações Dialogarts, 2013.

WITTIMANN, T. O realismo animista presente nos contos africanos: (Angola, Moçambique e Cabo Verde). Dissertação de Mestrado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Letras. Programa de Pós-Graduação em Letras, 2012.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br