O SAGRADO NO CONTO ORAL “A LENDA DA MOÇA DA PEDRA ENCANTADA”: MITO E REALIDADE NA VIVÊNCIA SERTANEJA / THE SACRED IN THE ORAL TALE “THE LEGEND OF THE LADY OF THE ENCHANTED STONE”: MYTH AND REALITY IN THE EXPERIENCE OF THE NORTHEASTERN MAN

Ciro Leandro Costa Fonseca, Pedro Fernandes de Oliveira Neto

Resumo


O presente trabalho propõe um estudo sobre a relação entre mito, memória e identidade cultural a partir da narrativa oral popular “A Lenda da Moça da Pedra Encantada” contada por dona Raimunda de Juliana, moradora do Sítio Lagoa de Pedra, no município de Luís Gomes – RN. Essa perspectiva se constitui a partir de estudos sobre o mito e o sagrado, o conto oral e a cultura popular: Eliade (2007), Luccioni (1977), Benjamin (1993), Simonsen (1987), entre outros. Assim, a lenda em estudo constrói a identidade da narradora e do grupo da qual faz parte, além de conduzir contadora e ouvintes a uma relação com o aspecto sagrado e mítico das suas vidas, com o seu passado primordial, mostrando que a vida simbólica é inseparável da natureza humana.

This work proposes a study about the relationship between myth, memory and cultural identity from the popular oral narrative “The Legend of Lady of the Enchanted Stone” told by dame Raimunda de Juliana, that lives in Sítio Lagoa de Pedra, in Luís Gomes – RN. In this sense, we are based theoretically in researches about the sacred and the myth, the oral tale and popular culture: Eliade (2007), Luccioni (1977), Benjamin (1993), Simonsen (1987), among others. Thus, the legend studied builds the identity of the narrator and her group, and leads both teller and listeners to a relationship with the mythic and sacred aspect of their lives, with their primordial past, showing that the symbolic life is inseparable from human nature.


Palavras-chave


conto oral; mito; memória; sagrado. / oral tale; myth; memory; sacred.

Texto completo:

PDF

Referências


BENJAMIN, Walter. O narrador: considerações sobre a obra de Nicolai Leskov. In: Obras escolhidas: magia e técnica, arte e política. Trad. Sergio Paulo Rounet. 5 ed. São Paulo: Brasiliense, 1993.

BOSI, Éclea. Memória e sociedade: lembranças de velhos. 9 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BURSTEIN, Dan. Introdução – A E D: um esboço para O Código Da Vinci. In: BURSTEIN, Dan; KEIJZER, A. de (orgs). Os segredos dos anjos e demônios. Trad. A. B. Pinheiro de Lemos, Antonio Moura e Sonia Maria Moitrel. Rio de Janeiro: Sextante, 2005.

CANDIDO, Antonio. Os parceiros do Rio Bonito. 10 ed. São Paulo: Duas Cidades; Editora 34, 2003.

ELIADE, Mircea. A estrutura dos mitos. In: Mito e realidade. 6 ed. São Paulo: Perspectiva, 2007.

HÖFFLER, Angelica. A floresta no cordel. Fortaleza: Secult, 2006.

LUCCIONI, Gennie; et al. O mito da literatura. In: Atualidade do mito. São Paulo: Duas Cidades, 1997.

MARIA, Luzia de. O que é conto. São Paulo: Brasiliense, 2004.

QUEIROZ, Maria Isaura Pereira de. Variações sobre a técnica de gravador no registro da informação viva. São Paulo: T.A. Queiroz, 1991.

RODRIGUES, Lílian de Oliveira. A voz memória: narrativa e identidade na cultura popular. In: RODRIGUES, Lílian de Oliveira; SAMPAIO, Maria Lúcia Pessoa; FREITAS, Alessandra Cardozo de (orgs). Linguagem, discurso, cultura: múltiplos objetos e abordagens. Pau dos Ferros: Queima – Bucha, 2008.

SIMONSEN, Michele. O conto popular. São Paulo: Martins Fontes, 1987.

VERNANT, Jean-Pierre. Aspectos míticos da memória e do tempo. In: Mito e pensamento entre os gregos: estudos de psicologia histórica. Trad. Haiganuch Sarian. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1990.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br