IDENTIDADES RELIGIOSAS NO ROMANCE MARAJÓ DE DALCÍDIO JURANDIR / RELIGIOUS IDENTITIES IN THE NOVEL MARAJÓ, BY DALCÍDIO JURANDIR

Ivânia dos Santos Neves, Eleni Bonifácio Rabelo

Resumo


O romance representa uma das mais importantes obras de Dalcídio Jurandir escritor marajoara, identificado pela crítica como um dos cânones da literatura de expressão amazônica. O livro, cuja narrativa se passa na cidade de Ponta de Pedras, no arquipélago do Marajó, localizado na foz do Amazonas, junto com outros nove romances do escritor, compõe o “Ciclo Extremo Norte” e revela, com primazia literária, a complexidade histórica e cultural da região. Aqui, tomaremos como objeto de estudo, especificamente, as práticas religiosas e suas diversidades culturais, a partir dos personagens Manuel Rodrigues, Mestre Jesuino e Nhá Leonardina. Este artigo considera o gênero romance como um universo de linguagens múltiplas que apresenta ao leitor condições socioculturais capazes de revelar, com riqueza de detalhes, as práticas culturais das sociedades em diferentes momentos históricos. Também nos fundamentamos nas discussões que propõem a identidade como um processo sempre em construção, que se inscreve numa tensão entre o local e o global. Finalizando nossas referências, procuramos nos fundamentar em estudiosos da obra de Dalcídio Jurandir e pesquisadores que investigaram as práticas religiosas na Amazônia. A construção dos três personagens deixa ver como a religiosidade destas populações marajoaras se constituem com as práticas religiosas estabelecidas pela colonização portuguesa e pelas cosmologias indígenas, africanas e de outras tradições que chegaram e continuam chegando à região.

The novel <i>Marajó</i> is one of the most important works of Dalcídio Jurandir, Amazonian writer, identified by critics as one of the canons of Amazon literature expression. The story of the book takes place in the city of Ponta de Pedras, in Marajó archipelago, located at the mouth of the Amazon. This book and nine other novels of the writer compose the "Cycle Far North" and reveals, with literary primacy, the historical and cultural complexity of the region. Here, we will take as the object of study, specifically, religious practices and their cultural diversities, from the characters Manuel Rodrigues, Master Jesuíno and Nhá Leonardina. We consider the romance genre as a universe of multiple languages, which presents the reader, sociocultural conditions can reveal, in great detail, the cultural practices of societies at different historical moments. Also we have considered in the discussions that propose the identity as a process always under construction, which fits into a tension between the local and the global. Finalizing our references, we seek to support the work of scholars in Dalcídio Jurandir and researchers who investigated the religious practices in the Amazon. The construction of the three characters lets see how the religiosity of these populations constitute Marajoaras with religious practices established by the Portuguese colonization and indigenous cosmologies, African and other traditions that have come and are still coming to the region.


Palavras-chave


identidade cultural; sociedade; religiosidade; Dalcídio Jurandir; Marajó. / cultural identity; society; religiosity; Dalcídio Jurandir; <i>Marajó</i>.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Questões de Literatura e de Estética: a teoria do romance. Trad. Aurora F. Bernadini et al. 4 ed. Unesp, São Paulo, 1998.

COUTINHO, Afrânio; SOUSA, J. Galante de. Enciclopédia de literatura brasileira. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, Academia Brasileira de Letras, 2001.

CUCHE, Denys. A noção de Cultura nas Ciências Sociais. Bauru, 2002.

FIGUEROA, Ana Claudia. Presença Religiosa na Amazônia. Porto Velho, 2002. Disponível em: http://www.amazonia2002.de/porto_velho_claudia_figueroa.html, acesso em 2011.

GALLO, Giovanni. Marajó: a ditadura da água. Belém: Secretaria de Estado de Cultura, 1980.

HALL, Stuart. Identidade Cultural e Diáspora. In: Comunicação & Cultura – A cor dos media. Vol. 01. Portugal: Universidade Católica Portuguesa, quimera, primavera-verão, 2006.

HOLANDA, Silvio. Mito e Sociedade em Dalcídio Jurandir: anotações em torno de Marajó. In: Leite, Marcus Vinnicius, Belém, Unama, 2006.

JURANDIR, Dalcídio. Chove nos Campos de Cachoeira. Belém: Cejup /Secult, 1997.

________. Marajó. 4 ed. Belém: Edufpa; Rio de Janeiro: casa de Rui Barbosa, 2008.

CLARET, Martin. A Essência das Religiões. Enciclopédia Nova Barsa, v. 12, p. 10, Rio de Janeiro, 2005.

MAUÉS, Raymundo Heraldo. Religião e medicina popular na Amazônia: a etnografia de um romance. Belém. Revista Anthropológica, ano 11, v. 18, n. 2, pp. 153-182, 2007.

________. A Ilha Encantada: medicina e xamanismo. Belém, Universidade Federal do Pará, 1990.

NEVES, Ivânia dos Santos. A invenção do índio e as narrativas orais Tupi. Campinas, SP, 2009.

NUNES, Benedito. Dalcídio Jurandir: romancista da Amazônia. Literatura & Memória. Belém Pará, SECULT/FCRB/IDJ, 2006.

NUNES, Paulo Jorge Martins. Útero de areia, um estudo do romance ‘Belém do Grão-Pará’, de Dalcídio Jurandir / Paulo Jorge Martins Nunes. Belo Horizonte, 2007.

________. Limiares entre o nacional e o universal, um caso de outridade na Amazônia de Dalcídio Jurandir e Mario de Andrade. In: Leituras dalcidianas. Leite, Marcus Vinnicius, Belém, Unama, 2006.

OLIVEIRA, Ivanilde Apoluceno de. Cartografias Ribeirinhas: saberes e representações sobre práticas sociais cotidianas de alfabetizando amazônidas. 2 ed. Belém: Eduepa, 2008.

ORTIZ, Renato. Mundialização e Cultura. 3 ed. São Paulo, Ed. Brasiliense, 1994.

PACHECO, Agenor Sarraf. História e Literatura no Regime das Águas: Praticas Culturais Afroindígenas na Amazônia Marajoara. Belém: Unama, 2009.

________. Encantarias Afroindígenas na Amazônia Marajoara: narrativas práticas de cura e (In) tolerâncias Religiosas. Belo Horizonte. VL. 8, 2010.

PARÁ, Carlos et al. O Chão Vermelho de Dalcídio Jurandir. Revista Pzz, Arte política e cultura – ano III- n. 6, 2008.

TORRES, Haroldo; COSTA, Heloisa. População e meio ambiente: debates e desafios. 2 ed. Editora Senac. S. Paulo, 2006.

VIDAL, Elizabeth de Lemos. Memória e Identidade em Marajó, de Dalcídio Jurandir. Vol. 6, pp. 85-92, Belo Horizonte, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br