O EROTISMO NA OBRA ELOGIO DA MADRASTA DE MÁRIO VARGAS LLOSA / THE EROTISM IN MÁRIO VARGAS LLOSA’S ELOGIO DA MADRASTA

Miriam dos Santos, Joelma Pereira de Faria, Ludmila Maria Lino Costa

Resumo


A partir de estudos sobre o erotismo (Bataille, Baudrillard e Maingueneau) e sobre o dialogismo explorado por Bakhtin, propusemo-nos a analisar o mecanismo dialógico parafrástico em que se detêm Fucs e Affonso Romano de Sant’Anna. Nosso objeto de pesquisa foi a obra <i>Elogio da madrasta</i> de Mário Vargas Llosa. Nessa obra verbal e visual conversam insistentemente, dado o fato de que cada dois capítulos são precedidos por uma pintura clássica que acaba sendo paráfrase resumidora e antecipadora do verbal desenrolado a seguir. A reiteração do mesmo – linguagens diferentes, mas com o mesmo sentido - é o eixo em que se desenvolve a obra.

Using studies about erotism (Bataille, Baudrillard and Maingueneau) and the dialogism explored by Bakhthin, we proposed an analysis about the paraphrastic dialogic mechanism focused by Fucs and Affonso Romano de Sant’Anna in this article. The analysis was focused on the novel <i>Elogio da mdrasta</i>, by Mário Vargas Llosa. In this book verbal and visual talk to each other insistently, due to the fact that each two chapters are preceded by a classical painting that ends up being a summarizing and predicting paraphrase of the verbal developed so forth. The confirming of the same – different languages but with the same sense – is the axes on which the book goes on.


Palavras-chave


erotismo; sedução; dialogismo; paráfrase. / erotism; seduction; dialogism; paraphrase.

Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, Mikhail. Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 1988.

________. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BATAILLE, Georges. O erotismo. Trad. Antônio Carlos Viana. Porto Alegre: L&PM, 1988.

BAUDRILLARD, Jean. Da Sedução. Trad. Tânia Pelegrini. 7 ed. Campinas: Papirus Editora, 2008.

CAMPOY, Concha García. Entrevista a Mario Vargas Llosa. Disponível em: http://www.sololiteratura.com/var/repo1.html, acesso em 07 dez 2011.

EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma introdução. São P

aulo: Martins Fontes, 2006.

FUCS, Catherine. La paraphrase et enunciation. Paris: Orphrys, 1994.

________. A paráfrase linguística: equivalência, sinonímia ou reformulação. In: Cadernos de Estudos linguísticos, n. 8. UNICAMP/IEL. Trad. João Vanderley Geraldi, 1995.

LLOSA, Mário Vargas. Elogio da Madrasta. Trad. Ari Roitiman e Paulina Wacht. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

MAINGUENEAU, Dominique. O Discurso Pornográfico. Trad. Marcos Marcionilo. São Paulo: Parábola Editora, 2010.

PLATÃO. O Banquete. Disponível em: http://www.cfh.ufsc.br/~wfil/banquete.pdf, acesso em 07 dez 2011.

SANT’ANNA, Affonso Romano de. Paródia, Paráfrase & Cia. São Paulo: Ática, 2001.

SÁNCHEZ, Hernán. Eroitismo, cultura y poder em el Elogio de la Madrastra, de Mário Vargas Llosa. Anales de literatura hispanoamericana, núm. 23, Complutense, 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br