Lirismo e construção rapsódica na performance de Maria Bethânia

Renato Forin Jr.

Resumo


Os espetáculos de Maria Bethânia caracterizam-se pela construção teatral e pela presença de uma dramaturgia feita por fragmentos de canções e textos literários. O artigo investiga a composição dessa tessitura e as marcas da lírica que a perpassam. Tais operações são detectadas em trechos de Bethânia e as palavras, espetáculo que estreou em 2010. Da mesma forma que Wisnik classifica o Brasil como uma “nova gaia ciência”, colocamos a performance de Maria Bethânia como uma ponte entre o ofício dos rapsodos antigos e o teatro contemporâneo, caracterizado pelo alto grau de poeticidade e por uma pulsão rapsódica (sintetizada pelas fragmentações e costuras). 


Palavras-chave


Maria Bethânia; Performance; Poesia.

Texto completo:

PDF

Referências


CAMARGO, Luís. Apresentação. In: OLIVEIRA, Solange Ribeiro de et al. Literatura e música. São Paulo: Senac, 2003. p. 9-16.

CÉSAR, Chico. Arco da velha índia. In: MARIA BETHÂNIA. Meus quintais. Rio de Janeiro: Biscoito Fino, 2014.

DUFRENNE, Mikel. O poético. Porto Alegre: Globo, 1969.

FINNEGAN, Ruth. O que vem primeiro: o texto, a música ou a performance?. In: MATOS, Cláudia Neiva de et al (org.). Palavra cantada: ensaios sobre poesia, música e voz. Rio de Janeiro: 7 letras, 2008. p. 15-43.

JAFFE, Noemi. Múltipla Maricotinha. Folha de S. Paulo, São Paulo, 21 set. 2008.

MATOS, Claudia Neiva de. A canção da serpente: poesia dos índios kaxinawá. In: ANDRADE, Ana Luiza et al. Leituras do ciclo. Florianópolis: ABTALIC; Chapecó: Grifos, 1999. p. 87-97.

_____. Textualidades indígenas no Brasil. In: FIGUEIREDO, Eurídice (org.). Conceitos de literatura e cultura. Niterói: EdUFF; Juiz de Fora: EdUFJF, 2010. p. 435-464.

MOTA, Marcus. A dramaturgia musical de Ésquilo: investigações sobre composição, realização e recepção de ficções audiovisuais. Brasília: Ed. UnB, 2008.

OLIVEIRA, Solange Ribeiro de. Canção – letra x estrutura musical. Aletria: revista de estudos de literatura, v. 14, p. 323-333, jul./dez., 2006.

PAVIS, Patrice. Dicionário de teatro. São Paulo: Perspectiva, 1999.

RENNÓ, Carlos. Poesia literária e poesia de música: convergências. In: OLIVEIRA, Solange Ribeiro de et al. Literatura e música. São Paulo: Senac, 2003. p. 49-71.

RISÉRIO, Antonio. Textos e tribos: poéticas extraocidentais nos trópicos brasileiros. Rio de Janeiro: Imago, 1993.

SARRAZAC, Jean-Pierre (org.). Léxico do drama moderno e contemporâneo. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

SISCAR, Marcos. “Responda, cadáver”: o discurso da crise na poesia moderna. In: Alea [on-line]. Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, jul.-dez. 2007. p. 176-189. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/alea/v9n2/a03v09n2.pdf. Acesso em: 5 dez. 2014.

STAIGER, Emil. Conceitos fundamentais da poética. Rio de Janeiro: Tempo brasileiro, 1993.

WISNIK, José Miguel. Sem receita. São Paulo: Publifolha, 2004.

ZUMTHOR, Paul. A letra e a voz: a ‘literatura’ medieval. São Paulo: Cia. das Letras, 1993.

_____. Escritura e nomadismo. Cotia: Ateliê editorial, 2005.

_____. Introdução à poesia oral. Belo Hoizonte: editora UFMG, 2010.

_____. Performance, recepção, leitura. São Paulo: Cosac Naify, 2014


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br