As traças da paixão: lirismo e resistência na poesia de Cacaso

Valdemar Valente Junior

Resumo


Este artigo tem como objetivo abordar aspectos da Poesia Marginal configurada em elementos coletados à poesia de Cacaso. Integrante desse momento de extrema importância para o entendimento da produção literária brasileira na década de 1970, sua poesia dialoga com o legado de poetas como Manuel Bandeira e João Cabral de Melo Neto, do ponto de vista de sua concisão verbal. Também se integra ao sentido de liberação estética de sua própria geração, seguindo a proposta de inovação da poesia ready-made como uma herança de Oswald de Andrade. 


Palavras-chave


Poesia brasileira; Crise política; Crítica contemporânea;Lírica moderna.

Texto completo:

PDF

Referências


BRITO, Antônio Carlos de (Cacaso). Lero-lero. 1ª edição. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

________; HOLLANDA, Heloisa Buarque de. Nosso verso de pé-quebrado. Argumento, Rio de Janeiro, n. 3, ano 1, p. 81-96, jan. 1974.

FRANCO, Renato. Literatura e catástrofe no Brasil: anos 70. In: SELIGMANN-SILVA, Márcio (org.). História, memória, literatura: o testemunho na era das catástrofes. 2ª edição. Campinas: Editora da Unicamp, 2003. p. 351-369.

HOLLANDA, Heloisa Buarque de. Impressões de viagem: CPC, vanguarda e desbunde: 1960/70. 5ª edição. Rio de Janeiro: Aeroplano, 2004. p. 99-131.

PEREIRA, Carlos Alberto Messeder. Retrato de época: Poesia Marginal anos 70. 1ª edição. Rio de Janeiro: Funarte, 1981. p. 117-342.

SANT’ANNA, Affonso Romano de. Música popular moderna poesia brasileira. 3ª edição. Petrópolis: Vozes, 1986. p. 165-171.

SCHWARZ, Roberto. Sequências brasileiras. 1ª edição. São Paulo: Companhia das Letras: 1999.p. 212-214.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br