Alejo Carpentier e os caminhos da transculturalidade hispanoamericana

Camila Lopes Ferreira

Resumo


Los pasos perdidos, do escritor cubano Alejo Carpentier, é obra de destaque dentro do panorama da literatura hispano-americana do século XX. Seu processo de busca da origem do homem latino-americano a partir do relato de viagens é corroborado pela inovação do romance em seus níveis compositivos, temporais e ideológicos. Segundo esta ótica, busca-se no presente trabalho analisar como, a partir da teorização do cronotopo de Bakhtin, a obra desenvolve inovações no espaço/tempo, através dos estudos de Roberto González Echeverría, Angel Rama e do historiador Fernand Braudel; estabelecendo assim relações referentes às ideologias formadas no espaço americano.


Palavras-chave


Literatura latino-americana; Cronotopo; Carpentier; Transculturalidade.

Texto completo:

Sem título

Referências


BAKHTIN, Mihail. Formas de tempo e de cronotopo no romance. In: Questões de literatura e estética: A teoria do romance. Tradução: Aurora Fornoni Bernardini et al. São Paulo: Ed. Hucitec, 2010.

BRAUDEL, Fernand. La historia y las ciencias sociales. Barcelona: Alianza Editorial, 1970.

CARPENTIER, Alejo. Los pasos perdidos. Venezuela: Fundación Centro de Estudios Latinoamericanos Rómulo Gallegos, 2005.

CHIAMPI, Irlemar. Barroquismo y afasia en Alejo Carpentier. In: Barroco y Modernidad. México: Fondo de Cultura Económica, 2000.

GONZALEZ E., Roberto. Historia y ficción en la narrativa hispanoamericana. Caracas: Monte Avila Editores, 1984.

GONZÁLEZ, Elena Palmero. Poéticas del viaje en la narrativa de la alta modernidad latinoamericana: Los pasos perdidos, de Alejo Carpentier. In: Revista Contexto, volume 10, n 12: 2006.

RAMA, Angel. Transculturación narrativa en América Latina. México: Siglo XXI Editores, 1984.

________. La ciudad letrada. México: Siglo XXI Editores, 1982.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br