O espírito errante: enraizamento dinâmico e fala plural

Ana Caroline Ferreira Costa

Resumo


Este artigo busca demonstrar, a partir das concepções de fala plural de Maurice Blanchot e de enraizamento dinâmico de Michel Maffesoli, como aspectos diferentes da existência podem se particular com base no pensamento negativo. Ambas as formulações, que possibilitam ricas reflexões sobre o trato com a palavra e com a cultura, derivam de uma dialética paradoxal e de um grande exercício do acaso. Seus processos são sempre contínuos, pois têm como sentido o próprio devir. Portanto, o único resultado que produzem não é nem palpável nem permanente; é, na verdade, a diferença em si mesma que se realiza ilimitadamente no encontro com o estranho.


Palavras-chave


Pensamento negativo; Enraizamento-dinâmico; Fala plural.

Texto completo:

Sem título

Referências


BLANCHOT, Maurice. L’Ecriture Du Desastre. Paris: Gallimard, 1980.

________. O Livro Por Vir. Tradução: Leyla Perrone-Moisés. São Paulo: Martins Fontes, 2005.

________. A Conversa Infinita 2: a experiência-limite. Tradução: João Moura Jr. São Paulo: Escuta, 2007.

________. A Conversa Infinita 1: a palavra plural. Tradução: Aurélio Guerra Neto. São Paulo: Escuta, 2010.

MAFFESOLI, Michel. Sobre o Nomadismo: vagabundagens pós-modernas. Tradução: Marcos de Castro. Rio de Janeiro: Record, 2001.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br