Espaços africanos na configuração de uma nova utopia em narrativa pepeteliana

Kelly Mendes Lima

Resumo


Em seu livro O quase fim do mundo (2008), o angolano Pepetela cria um reinício para a humanidade com poucos sobreviventes africanos a uma hecatombe mundial. A partir das viagens e suas motivações e consequências ao longo do enredo, propomos analisar traços de uma nova utopia para o autor. A nosso ver, a reflexão pepeteliana ultrapassa a questão de uma comunidade igualitária, aos moldes comunistas; abrange também a necessidade de se pensar um projeto para o país e/ou para África a partir do resgate da História, modelos e valores de suas próprias culturas.

 


Palavras-chave


Literatura Angolana; Utopia; Território Africano.

Texto completo:

PDF

Referências


ABDALA JR., Benjamin. De voos e ilhas: literatura e comunitarismos. São Paulo: Ateliê, 2003.

ANDRADE, Mário Pinto de. Origens do nacionalismo africano: continuidade e ruptura nos movimentos unitários emergentes da luta contra a dominação colonial portuguesa: 1911-1961. Lisboa: Dom Quixote, 1998.

BERMAN, Marshall. Tudo o que é sólido desmancha no ar. A aventura da modernidade. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BOLAÑO, Roberto. Entre paréntesis. Barcelona: Anagrama, 2004.

CABAÇO, José Luís. Globalização ou recolonização. Impresso, s/d.

CHAVES, Rita. A formação do romance angolano. Entre intenções e gestos. São Paulo: Coleção Via Atlântica, 1999.

________.; MACEDO, Tania. Portanto... Pepetela. São Paulo: Ateliê Editorial, 2009.

DUTRA, Robson. O quase fim do mundo de Pepetela – Resenha. In: O Marrare, Rio de Janeiro: Revista da Pós-Graduação em Literatura Portuguesa da UERJ, n. 10, 2009. Disponível em: . Acesso em: 25

nov. 2010.

ERVEDOSA, Carlos. Roteiro da literatura angolana. Lisboa: Edições 70, s/d.

FANON, Frantz. Os condenados da terra. 2 ed. Tradução: José Laurênio de Melo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1979.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: Ed. da Unicamp, 2003.

LUGARINHO, Mario Cesar. Quem deve comer lagostas? Reflexões sobre os estudos pós-coloniais a partir de alguma ficção de Pepetela e Agualusa. In: CHAVES, Rita; MACEDO, Tania; VECCHIA; SILVA, Rejane (org.). A kinda e a misanga: encontros brasileiros com a literatura angolana. São Paulo; Luanda: Cultura Acadêmica; Nizila,

MATA, Inocência. Liminaridades identitárias: para uma geocrítica do eurocentrismo. Comunicação apresentada em Diálogos Impertinentes do IV Encontro de Professores de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa – Ouro Preto – 2010.

MOREIRA, Sueli Aparecida. Alimentação e comensalidade: aspectos históricos e antropológicos. Ciência e Cultura, São Paulo, vol. 62, n. 4, out. 2010. Disponível em

&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 12 out. 2011.

MPLA. Hino do partido. Disponível em . Acesso em: 02 jan. 2012.

PADILHA, Laura Cavalcante. A força de um olhar a partir do sul. Alea, Rio de Janeiro, vol. 11, n.1, jun. 2009. Disponível em:

X2009000100005&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 03 out. 2011.

PAQUOT, Thierry. A utopia: ensaio acerca do ideal. Rio de Janeiro: DIFEL, 1999.

PEIXOTO, Carolina Barros Tavares. Geração da utopia: um projeto de formação da identidade nacional angolana e suas metamorfoses. Caracas, 2006. Colección Monografia, n. 38, do Programa Cultura, Comunicación y Transformaciones Sociales, CIPOST, FaCES, Universidad Central de Venezuela. Disponível em: . Acesso em: 11 jan. 2012.

PEPETELA. A geração da utopia. Lisboa: Dom Quixote, 1992.

________. O quase fim do mundo. Lisboa: Dom Quixote, 2008a.

________. Folheando com... Pepetela. Portal da Literatura, 26 mar. 2008b. Disponível

em . Acesso em: 24 jul. 2010.

PEREIRA, Moutinho. Um homem nos alicerces do mundo. In: BARRADAS, Acácio (ed). Agostinho Neto: uma vida sem tréguas. Lisboa/Luanda: 2005, pp. 91-113.

PINTO, Marcelo Bittencourt Ivair. “Introdução” e “Abordagem”. As linhas que formam o “EME”. São Paulo, 1996. Dissertação (Antropologia Social) – Programa de PósGraduação, Universidade de São Paulo.

TRANSPARENCY INTERNATIONAL. Corruption perceptions index 2011.

Disponível em . Acesso em: 6 jun. 2012.

VENANCIO, José Carlos. Literatura e poder na África lusófona. Lisboa: Ministério da Educação/Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, 1992.

ZIZEK, Slavoj. Disaster movies as the last remmants of utopia. Ha'aretz, 14 jan. 2003. Disponível em . Acesso em: 19 ago. 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br