O narrador de Memórias Póstumas de Brás Cubas em duas versões complementares

Felipe Oliveira de Paula

Resumo


O objetivo do trabalho é demonstrar a aproximação entre os textos de dois críticos da obra de Machado de Assis, especificamente sobre a obra Memórias Póstumas de Brás Cubas (originalmente publicada em 1881), a saber: Roberto Schwarz, em Um mestre na periferia do capitalismo: Machado de Assis (1997); e Ronaldes de Melo e Souza, em O romance tragicômico de Machado de Assis (2006). Embora Melo e Souza diga ser problemática a noção de “narrador volúvel” utilizada por Schwarz, acredito que o seu texto muito mais a legitima do que a desconstrói.

 


Palavras-chave


Crítica Literária; Narrador; Machado de Assis;

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, Machado. Obra completa. 3 vol. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1997.

BOSI, Alfredo; GARBUGLIO, José Carlos; CUVELLO Mario; FACIOLI, Valentim.

Machado de Assis. São Paulo: Ática, 1982.

MEYER, Augusto. Machado de Assis (1935-1958). Rio de Janeiro: José Olympio, 2008.

ROMERO, Silvio. Machado de Assis: estudo comparativo de literatura brasileira.

Campinas: Unicamp, 1992.

ROUANET, Sério Paulo. Riso e Melancolia: A forma shandiana em Sterne, Diderot, Xavier

de Maistre, Almeida Garret e Machado de Assis. São Paulo: Cia das Letras, 2007.

SARAIVA, Juracy Assmann. Circuito das memórias em Machado de Assis. São Paulo:

Edusp; São Leopoldo: Unisinos, 1993.

SCHWARZ, Roberto. Um mestre na periferia do capitalismo: Machado de Assis. São

Paulo: Editora 34, 1997.

SECCHIN, Antônio Carlos; ALMEIDA, José Maurício Gomes; SOUZA, Ronaldes de

Melo. Machado de Assis: Uma revisão. Rio de Janeiro: In-Fólio, 1988.

SCHOENTJES, Pierre. La poética de la ironia. Madrid: Cátedra, 2003.

SOUZA, Ronaldes de Melo. O romance tragicômico de Machado de Assis. Rio de Janeiro:

Eduerj, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Estação Literária
Londrina/ PR
ISSN: 1983-1048
E-mail: estacaoliteraria@uel.br